08/05/2013

Mansidão


Nós brasileiros temos a ideia de que mansidão é frouxidão, até pensamos que mansidão é sinonimo de carinho, de afago. Os dicionários de português confirmam isso. Mas há um problema a ser considerado; Moisés era manso mas matou o egípcio, Jesus era perfeitamente manso e ainda assim derrubou as mesas dos cambistas mesmo que não tenha machucado ninguém. Essas duas realidades estão em contradição com o padrão de mansidão ocidental que se refere a um sujeito domesticado. Precisamos entender o que tal palavra significa na Bíblia Sagrada para aplicarmos corretamente seu significado a nossas vidas.


A palavra hebraica usada para referir a Moisés como manso também significa, abatido, humilde, afligido, pobre, cansado, sofrido e não necessariamente com o conceito de domesticação (Num. 12.3; STONG 6035 e 6041). Em Jeremias 11.19 há uma referência à domesticação do cordeiro por metáfora que, obviamente, por ser figura de linguagem não deve ser tomada ao pé da letra, afinal Deus não domestica nem pode ser domesticado. Em Mateus 11.29 Jesus se proclama manso e humilde no sentido de ser gentil, pacífico. A mesma palavra grega vemos em 1 Pedro 3.4.

Resumindo, a palavra refere-se a uma postura de humilde e que sofre com o outro com seu problema, assim como Jesus sofreu por nós, mas não indica condescendência. Ser manso é olhar o problema do outro como se fosse seu, ser manso não é querer agradar a todo mundo, ser tido como submisso ao mundo, como domesticado para viver entre os ímpios. Mansidão no sentido bíblico é até ser antipático, mas se curvar ao que é justo e agradável a Deus em amor ao próximo, um amor que participa da dor, mas que não é condescendente com o mal.

É simplesmente isso.