11/01/2013

O pentecostes e o livro de Joel

Por +Marco Teles

Hoje li o livro do profeta Joel. É comum uma confusão acerca especialmente de Joel 2 e Atos 2. Cristãos pentecostais entendem o discurso de Pedro como uma confirmação dos dons espirituais. Não entraremos na discussão acerca da vigência ou não de certos dons, mas tentaremos descobrir o que Pedro queria dizer ao citar o livro do profeta Joel.

Em Atos 2, Os discípulos de Jesus, cheios do Espírito Santo, pregam no meio de uma multidão internacional e são entendidos conforme a língua de cada um. A ideia mais apropriada do que aconteceu naquele lugar seria a de que os discípulos e apóstolos pregavam em um só idioma mas cada um ouvia em seu idioma. No dia de pentecostes estavam reunidos judeus de todas as partes do mundo em Jerusalém, pois o templo era o lugar central de culto dos judeus. Muitos desses judeus mal falavam o aramaico, idioma corrente na palestina daquele tempo, por isso foi necessária essa ação do Espírito Santo naquele dia.

Enquanto pregavam, aqueles de coração quebrantado entendiam a Palavra, mas os de coração endurecido diziam que estavam bêbados. Então Pedro explica o que estava acontecendo naquele lugar. A explicação de Pedro refere-se ao livro do profeta Joel, à promessa de libertação definitiva que o Senhor prometera ao povo de Deus. Lendo apenas os versículos citados por Pedro não entenderíamos a sua mensagem. É necessário, para bom entendimento, saber qual era o contexto de Joel o qual os israelitas conheciam muito bem.

O profeta Joel divide o seu livro, grosso modo, em três fases. A apostasia e desgraça do povo, o arrependimento e clamor do povo, a ação do Senhor produzindo uma nova Jerusalém. Quando Pedro refere-se a Joel referencia à vinda da nova Jerusalém para aqueles que se arrependessem e cressem na Palavra de Deus. Com os dons manifestados pelos apóstolos podia-se perceber que o reino de Deus estava estabelecido.

As três fases do livro de Joel se encontram na história do povo de Israel. O povo tinha sido disperso, estava sob domínio dos romanos que tiravam toda a sua riqueza como gafanhotos, e muitos do povo clamavam a Deus por libertação. Quando Pedro referencia essa realidade com o livro de Joel, aqueles que tinham o coração arrependido e contrito entenderam imediatamente. E se converteram cerca de três mil almas.

Geralmente perdemos muito tempo tentando provar ou refutar a questão de dons espirituais nestes textos. Tal tipo de ação muitas vezes é mera vaidade. É apenas querer justificar práticas de um grupo ou outro. O que interessa mesmo em Joel é a ideia de que se nos arrependermos seremos salvos como Deus prometeu. Não importa a situação em que nos encontramos. Não importa a dificuldade que nos assole. Importante é crer em Deus, humilhar-se perante Ele e receber a Sua Salvação.

O que temos procurado? Dons de mistério ou a Salvação de Deus? Retórica doutrinária ou a Salvação de Deus? Pedro e Joel nos ensinam que a Salvação já chegou para aqueles que se arrependem. A Salvação não é para quem tem dons de mistério ou habilidade de argumentação, mas para quem se arrepende e aceita a Jesus. Não podemos esconder essa mensagem principal atrás de uma discussão secundária. O grande poder de Deus para os homens está no Evangelho para Salvação de todo aquele que crê. Creia em Deus e experimente a Salvação como se estivesse na nova Jerusalém a partir de hoje, pois a Salvação não é algo futuro, ela começa agora, para todo aquele que crê.