25/09/2012

Movimentos de Calaboca

Outro dia, ouvindo uma palestra do Olavo de Carvalho, ele disse: "A maior parte das pessoas acredita que existe o progresso do conhecimento. E você já parou para pensar no progresso da ignorância? Na quantidade, cada vez maior, de teorias erradas que nós fazemos sobre tudo que existe?". O pior é que é verdade! Temos progredido mecânicamente em mera tecnologia mas espiritualmente, tanto no sentido amplo quanto estrito da palavra, vamos de mal a pior.

Ora, que o mundo tá perdido não é novidade, diria você, mas essa frase me chamou atenção por conectá-la com outra frase, desta vez atribuida ao Cartunista Quino que diz "El problema de las mentes cerradas, es que siempre tienen la boca abierta". Talvez a maioria das pessoas prefira a frase do cartunista do que a do filósofo. É normal, afinal a arte é sempre mais emotiva, mas vamos pensar sobre o que essa preferência nos indica.

Segundo Oliveira (2010) o cartunista não era marxista, mas seu trabalho pode ser usado para ensinar sobre conceitos comunistas nas aulas de história. Olavo de Carvalho, como sabemos, é um filósofo brasileiro de orientação conservadora. Podemos dizer que Quino, talvez, não discordasse de Carvalho em política. O uso de frases soltas que é o problema.

Enquanto a frase de Quino pipoca nas redes sociais e desfila em cartazes esquerdistas, Carvalho já não é tão popular, exatamente por não ser esquerdista. Ligando as duas frases, vemos que há uma recriminação às mentes fechadas,aliás, uma terminologia atribuida pejorativamente a quem não é esquerdista. Admitindo que o Quino não era propriamente esquerdista, e que este uso pejorativo seja mais recente, especialmente por feministas, vejamos que perigo traz essa frase.

Mentes fechadas são uma rotulação de indivíduos, ou inimigos da esquerda, e lamentar que tais pessoas mantenham a boca aberta é o mesmo que dizer que quem não concorda com o padrão marxista deve se calar. Seria o uso dessa frase um tentativa de revolução cultural coerente com o marxismo? Provavelmente sim, pois do ponto de vista de Gramsci, teorico marxista, a hegemonia ideológica de uma classe sobre outras visa agir culturalmente para gerar um consenso e adesão da sociedade a essa dominação (OLIVEIRA, 2010:136-137).

Mas, porque será que comunistas tão libertários querem calar a boca dos outros com uma propaganda cultural com interfaces entre quadrinhos e passeatas? Talvez porque estejam incomodados por não ter nada mais consistente para falar. São os conservadores, pró-vida, pró-família e de cultura judaico cristã que têm impedido, num debate mais inteligente e com a impescindível direção de Deus, a proliferação de ideias como legalização do aborto, eutanásia, promiscuidade sexual, destruição da família e por aí vai.

Como disse Carvalho, produzimos muita ignorância. Produzir ignorância é inevitável, por isso não podemos desejar calar os outros com desculpas de que seríamos "mais democráticos", ou mesmo que seríamos de esquerda, e que tudo que é contrário ao anticristo deve se calar. Claro que não faríamos isso, não somos anticristos, mas existem muitos deles por aí querendo nos calar de qualquer jeito, seja com leis absurdas ou seja com propaganda até mesmo bancada pelo governo.

A Bíblia nos fala de Jezabel, uma mulher ímpia que levou o povo de Israel à idolatria e prostituição. Deus enviou o profeta Elias para terminar com o culto a Baal. Quatrocentos sacerdotes de Baal clamaram a seu deus cortando-se com navalhas e gritando em transe, mas um falso deus não podia mandar fogo do céu para acender o sacrifício oferecido. Elias, ao contrário, clamou uma só vez ao Senhor Todo Poderoso e um fogo do céu consumiu o holocausto. Os profetas da baal foram extintos da terra, mas Jezabel não gostou. Jezabel mandou matar Elias para que se calasse e não pregasse mais a vontade de Deus. Elias chegou a fugir mas logo foi socorrido e honrado por Deus. A vontade de Deus prevaleceu no final.

Estamos em tempo de eleições. Nessa época, pessoas de articulação anticrística, de partidos políticos contrários à vontade de Deus estão se espalhando e pedindo votos. Em quem devemos votar? Naqueles que pensam que somos "mentes fechadas" e devemos calar a boca? Ou devemos votar em verdadeiros crentes que se preocupam em cumprir a vontade de Deus em seu trabalho de serviço à população? Você já sabe em quem votar, mas cuidado com os que se disfarçam de cristãos mas não são.

Precisamos votar em crentes verdadeiros que não envergonhem o evangelho metendo-se em negociatas e, também, que não sejam omissos em suas ações legislativas em prol da vida, da família e do direito que todos têm de se expressar sem serem amordaçados por um consenso cultural construido através de propaganda e de rebeldia à Palavra de Deus. Ore e dedique seu voto, não a um político somente, mas à vontade de Deus, para que haja Paz verdadeira em nosso país, pois assim a igreja de Jesus Cristo com o Espírito Santo no coração, que detém o anticristo, evangelizará mais e teremos festas no céu.



Bibliografia

Bíblia Sagrada.Almeida Corrigida e Revisada Fiel. 1 Reis 18-19. Disponível em http://www.bibliaonline.com.br/acf/1rs/18

CARVALHO, Olavo. Seminário de Filosofia. Audio SF20030125-03.MP3 28':00" Disponível em seminariodefilosofia.org acesso em 10/09/2012

OLIVEIRA, Carlos Eduardo Rebuá. A “crítica ‘Mafaldiana’ ” à sociedade burguesa numa leitura marxista: HQ’s e contra-hegemonia na aula de história. Tempos Históricos, volume 14, 2º semestre de 2010, p. 134-153 Disponível em http://e-revista.unioeste.br/index.php/temposhistoricos/article/view/4862 acesso em 25/09/2012


Marco Teles
B.el Teologia | Pedagogo
Casado com Lucimar