23/09/2012

Macacos Inteligentes


-->
Hoje assiti na teve aberta um documentário francês, chamado Le Force, ou Força da Vida em português, sobre os macados japoneses. O documentário era evolucionista. Claro que os termos evolução, seleção natural, mutação, milhões de anos da terra eram presentes, pois tirando-se um destes termos a evolução, como mera teoria, não faz sequer sentido. Não é a toa que se atribui bilhões de anos à natureza, pois dessa forma pode-se gerar um misticismo ciêntifico necessário à justificação da teoria darwiniana. Mas, biologia à parte, a evolução não pode explicar certas características das espécies. É sobre isso que desejo discorrer.
Quando a teoria da evolução era conveniente para explicar a sobrevivência dos macacos japoneses, o documentário a utilizava com repetição, mas em determinado momento da explicação, quando se percebeu que para que aqueles macacos sobreviessem em determinada situação seria necessária uma atuação inteligente começaram a dizer que os macacos eram “muito inteligentes”. Macacos inteligentes? Desde quando?
Ora, recusam o design inteligente que reconhece em Deus a criação dos animais conforme a sua espécie, dizem que a evolução é casual, que ocorreu por uma série de topadas da natureza, mas quando percebem que a vida não se explica sem a ação inteligente de Deus, que a evolução é insustentável, dizem que a inteligência é do macaco e não de Deus.
Tenha paciência! Ainda dizem que são mais inteligentes do que os crentes porque acreditam, isso mesmo têm fé, na evolução. Talvez algum dia informem que macacos ou larvas de mosquito criaram uma filosofia, teologia, ou mesmo religião, mas ainda tal loucura não foi ventilada. Se existe alguma inteligência animal lógicamente ela não é racional e, não sendo racional, impossibilita a tomada de decisões com o nível de complexidade necessário para a preservação de uma espécie com milhares de indivíduos em situação de risco.
Imaginem o absurdo do grau de inteligência atribuida a esses macacos! Eles precisariam conhecer logística, administração de recursos, dominar tecnologias e criar tecnologias para que sobrevivessem por sua “inteligência”. É simplesmente uma pregação do absurdo!
Não é a toa que ofilósofo Luiz Felipe Pondé considera "brega" ou "engraçado" alguém se julgar mais inteligente por ser ateu. Realmente, é engraçado pois chegar ao conhecimento de Deus requer um grau de abstração que só consciências refinadamente inteligentes em sua própria natureza de criatura são capazes de conceber. Uma mente limitada não pode abstrair quanto aos sentidos transcendentes da vida, mas não é por isso que nega-se a Deus, pois os ateus são tão inteligentes quanto qualquer outro apenas tem o coração empedernido, duro e fechado para Deus em sua retórica politica e pseudo ciêntífica.
O evolucionismo é majoritariamente ateísta, portanto, suas razões políticas impedem que admitam que O Deus inteligente criou o mundo, mesmo quando a necessidade da inteligência criadora é uma causa necessária e suficiente. Na visão politica da mentalidade revolucionária é melhor dizer que “o macaco é inteligente”.
É realmente espantoso até que ponto uma ciência eivada de preconceitos contra a religião pode chegar para não reconhecer que Deus é o Criador.
Para os homens prudentes e não partidários de ideologias pseudo ciêntíficas fica a Palavra de Deus:
Os céus proclamam a glória de Deus e o firmamento anuncia a obra das suas mãos. Salmos 19:1

Marco Teles
B.el Teologia | Pedagogo
Casado com Lucimar