15/05/2012

Achismo especializado


Sempre aparece um "especialista" para falar mal da Bíblia. Eles gostam de demonstrar autoridade com seus diplomas, à semelhança dos escribas e fariseus. Ao que nos consta biblicamente Jesus não tinha "diploma", mas era reconhecido como mestre que tinha autoridade maior que a dos escribas e fariseus. É importante ao ouvirmos considerações sobre religião pautarmos nossa opinião em quem tem mais autoridade, Jesus Cristo. Os escribas de nosso tempo com seus doutorados e mestrados acumulados caminham para a loucura, e ainda pensam que ser louco é servir a Deus.

Outro dia ouvi várias considerações baseadas em análise de texto bíblico. O doutor apresentou sua exegese colocando sua "interpretação possível" contra a Bíblia Sagrada, ou contra seus tradutores. Quando indagado sobre qual era a melhor editora para se conseguir livros da área do sujeito, disse que todas as editoras são ruins, e recomendou a dele, claro.

O problema de tais argumentações não estão nos dados abordados mas nas "interpretações possíveis" que tais historiadores das religiões usam desmedidamente. A verdadeira interpretação exegética analisa o texto para descobrir o que o texto diz de fato, interpretação possível não é exegese mas malabarismo artístico. A arte em seu conceito mais mundano aceita qualquer interpretação para uma obra de arte, mas a Bíblia não deve ser lida com essa leviandade pois é um livro Sagrado e histórico.

Exegese é a interpretação que uma pessoa, de posse das regras de interpretação chamada de hermenêutica, faz em um texto de forma objetiva para evitar a distorção da verdade. Não existe exegese possível ou "interpretação possível", pois a exegese é retirar do texto o que ele diz e não o que poderia dizer. O termo exegese tem um prefixo de origem grega, ex que deriva de ek, que é uma preposição grega que indica a retirada, ou saída, de de algo de um determinado conjunto de estudo. A exegese portanto tira o que está no texto e não o que não está.

Por outro lado existe a eisegese que é tem o prefixo eis, também preposição grega, que indica dirigir para dentro de algo. As interpretações possíveis de nossos "especialistas" fazem exatamente a eisegese, isto é, colocam no texto algo que vem do "achismo especializado", que não é nada cientifico, é apenas um achismo escondido atrás de diplomas. É leviano.

Não bastam evidências, é necessário coerência entre as evidências sem apelar para as "interpretações possíveis" mas para a interpretação mais seguramente comprovada. Agir sem uma comprovação segura, mas apenas com achismos não é ciência.

Vale lembrar que Descartes ao definir a dúvida no método científico não estabeleceu uma dúvida incondicional, ao contrário, para ele era importante duvidar do que não se podia verificar de imediato, atribuindo sentido somente ao que era investigado positivamente. Entretanto, os cientistas de hoje, querem ser cartesianos e ao mesmo tempo artistas atribuindo verossimilhança a seus trabalhos, isto é, mera aparência de verdade, enquanto se afastam cada vez mais da verdade em busca da afirmação de suas bandeiras de luta.

Existem teólogos que manipulam a Bíblia e que criam seus próprios domínios? Claro que existem, mas entre os cientistas isso é ainda pior. Os teólogos que se afastam das Escrituras são refutados escrituristicamente ao passo que os cientistas que se afastam da verdade para o verossímil são tidos como eruditos. Tais sujeitos rejeitam a religião como mito mas criam seus próprios mitos que disfarçam como ciência atrás de seus diplomas. 

Lembremos que diploma não diz nada sobre a integridade do sujeito, diz apenas que estudou, agora como usa este estudo, é autonomia dele e não devemos ficar presos a esse tipo de despotismo intelectual. Digo que é um despotismo intelectual pois baseia-se apenas em conquistas, assim como os tiranos baseiam seu poder, pois nós, "pobres escravos" dos doutores da vida somos incapazes de questiona-los, pois do contrário seremos massacrados com argumentos "científicos". Isso não é verdade. Não se impressione. É tudo pose como dizia o Lobão.

Deixo um versículo que traduz a situação espiritual de quem crê em Deus e faz ciência de fato e daqueles que desejam contrariar Deus com suas "interpretações possíveis":
Ora, sem fé é impossível agradar-lhe; porque é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que ele existe, e que é galardoador dos que o buscam.  Hebreus 11:6


Marco Teles
B.el Teologia | Pedagogo
Casado com Lucimar