22/02/2012

Vulgarização do "amor"

Vivemos numa época onde se procura um "amor" vulgar. Este amor vulgar não busca compromisso, dedicação, doação ao outro, mas apenas a satisfação carnal em relacionamentos superficiais que não são verdadeiros relacionamentos, mas são apenas "casos" de promiscuidade.

A Webrádio CPAD informou que uma ministra de esquerda, abortista, declarou que o sexo para ela no período de guerrilheira era algo "liberal". Alegar-se sanitarista para defender o aborto não é suficiente para quem entende que as pessoas são mais do que dados estatísticos ou mero organismo biológico. Pessoas tem alma. Somente Jesus Cristo pode oferecer a sanidade e Salvação de nossas almas, ninguém mais.

Percebendo esse tipo de tendência precisamos lembrar que não somos animais. Somos seres humanos, não temos apenas a anima ou o fôlego de vida, temos uma relação espiritual fundamental com Deus e com o próximo. Desprezar a sanidade espiritual em nossos relacionamentos é corromper-se como ser humano e caminhar para o inferno, além de construir uma sociedade cada vez mais sem amor.

Jesus nos ensinou que amor não é promiscuidade e que nosso coração endurecido pelo pecado não pode entender a vontade de Deus.

  • Então chegaram ao pé dele os fariseus, tentando-o, e dizendo-lhe: É lícito ao homem repudiar sua mulher por qualquer motivo?Ele, porém, respondendo, disse-lhes: Não tendes lido que aquele que os fez no princípio macho e fêmea os fez, E disse: Portanto, deixará o homem pai e mãe, e se unirá a sua mulher, e serão dois numa só carne? Assim não são mais dois, mas uma só carne. Portanto, o que Deus ajuntou não o separe o homem.

Os fariseus queriam também certa promiscuidade esquecendo que o vínculo carnal do matrimônio é indissolúvel sem amputação e perda de ambas as partes. Mesmo ainda que seja dissolvido legalmente o vínculo permanece espiritualmente sendo por isso o casamento um compromisso para toda a vida, no que difere muito da promiscuidade egoísta. Jesus pregava o verdadeiro amor e não um amor de aparências.

  • Disseram-lhe eles: Então, por que mandou Moisés dar-lhe carta de divórcio, e repudiá-la? Disse-lhes ele: Moisés, por causa da dureza dos vossos corações, vos permitiu repudiar vossas mulheres; mas ao princípio não foi assim. Eu vos digo, porém, que qualquer que repudiar sua mulher, não sendo por causa de fornicação, e casar com outra, comete adultério; e o que casar com a repudiada também comete adultério. 

Os  fariseu ainda queriam contestar a Jesus com as Escrituras interpretadas superficialmente mas Jesus se preocupa com a Bíblia em sua profundidade de importância para nossa vida. É o coração endurecido, sem Deus, que procura a promiscuidade e tenta  dar-lhe alguma justificativa comparando-os com coisas superiores. Promiscuidade não é amor. Jesus mostrou seu amor na cruz, como exemplo para nós. O amor de Jesus não é egoísta nem mesmo promiscuo pois o Senhor nunca pecou.
  • Disseram-lhe seus discípulos: Se assim é a condição do homem relativamente à mulher, não convém casar. Ele, porém, lhes disse: Nem todos podem receber esta palavra, mas só aqueles a quem foi concedido. Porque há eunucos que assim nasceram do ventre da mãe; e há eunucos que foram castrados pelos homens; e há eunucos que se castraram a si mesmos, por causa do reino dos céus. Quem pode receber isto, receba-o. (Mateus 19:3-12)

Marco Teles

A promiscuidade estava tão bem justificada entre os homens judeus que até os discípulos de Jesus estranharam o verdadeiro ensinamento para um relacionamento em amor. Aqui Jesus fala que só aqueles que valorizam mais o reino dos céus do que a concupiscência da carne são capazes de entender e viver o verdadeiro relacionamento em amor. Este verdadeiro amor ultrapassa até mesmo a incapacidade sexual orgânica. Quando Jesus se refere a pessoas que nascem castrados refere-se a pessoas com doenças genéticas e não àqueles que se entregam a fragilidades psicológicas quanto a sua identidade sexual.

Jesus termina dizendo àqueles que podem receber esse ensino quanto ao amor recebam, pois estes são transformados por Deus e entrarão no céu. Quanto aos fornicadores, não entrarão. Busque o verdadeiro amor em Jesus e não o falso amor que segue conselho de demônios.


Webgrafia:

SANTANA, Cristiano. Poliamorismo: a imoralidade apoiada por psicólogos brasileiros. Disponivel em: < http://ministeriobbereia.blogspot.com/2012/02/poliamorismo-imoralidade-apoiada-por.html > acesso em 16/02/2012

O Cristão e o Mundo. Rádio Web CPAD [ao vivo]: <http://www.cpad.com.br/radiocpad/radio_popup1.htm> acesso em 15/02/2012

Só Biologia. Síndrome de Turner, Hermafroditismo. Disponível em <http://www.sobiologia.com.br/conteudos/Genetica/genesnaoalelos8.php>  acesso em 16/02/2012