18/02/2012

Livre Arbítrio Responsável

Um dia que resolvi ensinar a Bíblia na praça. Enquanto ensinava, um homem com olhar astuto observava e, após orar com a primeira pessoa, ele se aproximou e disse: “Existe uma coisa que não se cumpre na Bíblia. Você não será capaz de explicar”, pedi que sentasse e ele indicou Josué 24.15 dizendo que “a maioria dos parentes dos crentes não segue a mesma religião, portanto essa promessa não se cumpre”. Orei primeiro, lógico, e me concentrei no contexto do trecho.

Depois da leitura expliquei para o homem astuto: a fala de Josué “Eu e minha casa serviremos ao Senhor” não é um mandamento, nem mesmo uma promessa para todos, é na verdade uma declaração da escolha que Josué fez para si e seus familiares. O homem astuto despediu-se imediatamente e foi embora. Ele entendeu que servir a Deus é uma questão de escolha, não mero procedimento.

Procedimentos não são ruins, mas a fé ultrapassa procedimentos. Computadores são programados para executar procedimentos, mas os computadores são burros, nós não. Nas escolhas subjetivas que fazemos se encontram todas as possibilidades de acertar ou errar o objetivo. Josué escolheu servir a Deus e agiu corretamente.

Alguns pensam que aprendemos com o erro. Isto já é um erro. Podemos até passar pelo erro no momento da aprendizagem de coisas importantes, mas só aprendemos com a correção, isto é, fazendo o que é correto. Algumas pessoas aprendem certas coisas sem passar pelo erro, pois vão direto para o acerto, verificam sua validade e ali permanecem. Outros continuam insistindo no erro pensando que algum dia aprenderão, mas só consolidam o erro em suas vidas.

O pecado é errar o alvo. O pecado não conduz a Jesus. O pecado conduz ao inferno. As provas de “múltipla escolha espiritual” a que somos submetidos são variadas, mas só Jesus é a solução. Quando escolhemos servir a Deus acertamos em cheio e definitivamente. Se escolhemos experimentar os erros mundanos “um abismo chama outro abismo”.

Marco Teles
Qual é a nossa escolha? Seguir a Jesus ou ao mundo errôneo? Seguir a Jesus, obviamente. Talvez você erre uma questão de concurso, de vestibular, ou mesmo não consiga dizer a palavra certa no momento adequado ou, quem sabe, queira por açúcar no feijão, mas essas não são as escolhas mais importantes. O mais importante é escolher a Jesus, pois é uma escolha eterna, de vida, transformação e de perdão. O perdão de Deus apaga nossos erros perante Ele.

Josué escolheu bem. Podemos fazer o mesmo. Isso é livre arbítrio responsável. Escolha o melhor: viver para servir a Jesus.