12/01/2012

Eleitos em Cristo

Arminio
Há uma doutrina teológica chamada de predestinação. Ela tem pelo menos três interpretações. Uma das quais diz que Deus predestinou, ou seja escolheu antes da criação, aqueles que se salvariam e aqueles que se destinariam ao inferno apenas por sua soberana vontade, chamaremos essa visão de calvinista. Uma outra que chamaremos de arminiana, entende que Deus não predestinou pessoas ao céu ou ao inferno mas que predestinou o mediador que é Jesus Cristo pela fé nele, quem crê portanto é salvo, mas se abandonar a fé perde a Salvação. Uma outra visão é a dos batistas que forma um meio termo: Deus predestinou a Salvação para todo aquele que voluntariamente crê e confessa a Cristo como Senhor e Salvador, sendo que a Salvação uma vez dada por Deus não é retirada pois não são as obras que salvam.

Quanto a visão batista, que é nossa praia, poderiam dizer os arminianos mais ferrenhos: Ora, então depois de salvo pode-se meter o pé no balde? Claro que não! O salvo continua pecador, cheio de falhas, imperfeito e buscando a perfeição em Cristo. Quando um salvo se desvia o pecado não lhe traz nenhuma realização ou satisfação, não do mesmo modo que o ímpio pois este satisfaz-se momentaneamente, mas o salvo que se desvia em momento nenhum se satisfaz com a condição de pecador entre pecadores mas deseja restaurar a comunhão com a igreja.

João Calvino
Um exemplo desse tipo de situação é um dependente químico que mesmo salvo, ao cair em sua fraqueza, não consegue se restaurar pela sua fraqueza inerente a dependência. Podemos citar também pessoas com vícios fortes de conotação sexual que geram certa dependência também, senão química emocional e afetiva embora possa-se entender também que o corpo produz naturalmente sua química nessas situações. Existem ainda os que se pervertem pelo dinheiro, pelo luxo, que é a soberba da vida e que carrega também outros vícios consigo. Mas, tais pessoas, se convertidas de fato, reconhecem que estão em pecado e se entristecem muito com isso e sabem qual é a solução para suas vidas. Não podemos saber quem é salvo ou quem não é, pois isso é algo de foro tão intimo que só o individuo é capaz de saber mas Deus não retira a sua graça por causa da desgraça do homem.

Em Efésios 1 e 2 vemos uma exposição dessa doutrina que as várias interpretações citadas conduzem segundo seu padrão confessional, entretanto vamos nos ater ao seguinte texto:

Como também nos elegeu nele antes da fundação do mundo, para que fôssemos santos e irrepreensíveis diante dele em amor; Efésios 1:4

Por uma questão de lógica o texto refere-se a nós, num sentido universal aos crentes a quem eram dirigidas as palavras e a nós cristãos de hoje, ora, se o texto refere-se a nós não a individuo específico, a eleição individual contraria a abordagem do conjunto dos eleitos em Cristo. A Bíblia é precisa nesse caso, pois o próprio idioma grego é preciso além do caráter de revelação. Portanto vemos que Paulo refere-se a um grupo de pessoas de uma igreja local, mas tendo em vista toda a igreja de Cristo, isto é todo aquele que cresse em Jesus para ter a vida eterna (João 3.16)

John Bunyan
um dos primeiros batistas
Deus nos Elegeu em Cristo, isto é, no Verbo ou Palavra de Deus, o qual se demonstra no Evangelho que é pregado para arrependimento e Salvação. Isto é demonstrado em toda a Escritura.

Penso, como batista, que para os que creem na perda da Salvação permanece um certo censo de justiça humana baseada no merecimento, para os que abordam tal doutrina do ponto de vista do ponto de vista determinista baseiam-se num argumento paradoxal, um paradoxo se afirma e contradiz num laço infinito não podendo portanto ser padrão para doutrina. Como nossa salvação é pela graça irrevogável e onipotente de Deus e não por merecimento, e como também não podemos formar doutrina a partir de argumento inconclusivos ou paradoxais reafirmo a posição batista de que Cristo morreu para salvação de todo aquele que nele crê, arrepende-se de seus pecados e submete-se ao senhorio de Cristo pois Deus não faz acepção de pessoas, nem mesmo as obras são maiores do que a Graça.

Que Deus nos abençoe e que essa simples reflexão possa ajudar no entendimento dos diferentes pontos de vista doutrinários acerca da doutrina da Eleição.

Webgrafia:


Bíblia Sagrada. Almeida Corrigida e Fiel. Disponivel em <http://www.bibliaonline.com.br/acf/ef/1> Acesso em 12/01/2012
Declaração Doutrinária da Convenção Batista Brasileira: Salvação. Disponível em <http://www.batistas.com/index.php?option=com_content&view=article&id=15&Itemid=15&limitstart=4> Acesso em 12/01/2012
Wikipedia: Arminianismo. Disponivel em <http://pt.wikipedia.org/wiki/Arminianismo> Acesso em 12/01/2012
Wikipedia: Calvinismo. Disponivel em <http://pt.wikipedia.org/wiki/Calvinismo> Acesso em 12/01/2012