13/11/2011

Mania de Debate

Algumas pessoas tem mania de debate, ou embate, teológico. Talvez até eu já tenha caído nisso pensando ser construtivo ou útil, motivado talvez por padrões de mídia, ou mesmo incentivado pela convivência, entretanto Jesus não nos chamou para o debate mas para pregar e ensinar.

Talvez possa-se considerar o debate uma forma de ensino e seria de fato desde que houvesse interesse em aprender para desenvolver ideias. Nos debates atuais enfatiza-se a provocação contra ideias bíblicas com vistas a promover ideias antibíblicas. Muitas vezes os interlocutores procuram apenas um fórum de embate retórico ou de argumentos redundantes e falaciosos, numa ação politizante da religião e contrariando a ação vivificante do Espírito Santo no cristianismo.

Já existiam discussões politizantes no tempo do Novo Testamento. Veja o que diz Paulo a Timóteo:

Ora, o fim do mandamento é o amor de um coração puro, e de uma boa consciência, e de uma fé não fingida. Do que, desviando-se alguns, se entregaram a vãs contendas; Querendo ser mestres da lei, e não entendendo nem o que dizem nem o que afirmam. 1 Timóteo 1:5-7

O mesmo apóstolo deixa outro conselho pastoral a Tito:

Fiel é a palavra, e isto quero que deveras afirmes, para que os que crêem em Deus procurem aplicar-se às boas obras; estas coisas são boas e proveitosas aos homens. Mas não entres em questões loucas, genealogias e contendas, e nos debates acerca da lei; porque são coisas inúteis e vãs. Ao homem herege, depois de uma e outra admoestação, evita-o, Sabendo que esse tal está pervertido, e peca, estando já em si mesmo condenado. Tito 3:8-11

Paulo era versado no conhecimento de sua época, tanto teológico quanto secular, porém, mesmo sendo extremamente culto sabia que não há necessidade de debate, mas de pregação da Palavra. Quando pregamos esclarecemos e reforçamos o significado do Evangelho de Cristo. Quando debatemos só fazemos aumentar a discussão e difundir a dúvida e heresia.

Se você reparar as questões de debate são sempre as mesmas, respondidas milhares de vezes na internet e em livros específicos, bastando uma pesquisa para a resposta, mas aos néscios interessa debater. O debate é meio de propaganda anticristã no qual, muitos crentes bem intencionados são levados inadvertidamente. Como nos ensinou o apóstolo Paulo basta uma ou outra admoestação, se insiste no erro, não precisamos provar que estamos certos pois Deus é quem garante a permanência de Sua Palavra, nós apenas anunciamos o evangelho.

Que Deus nos abençoe com sabedoria para fugir das discussões vãs, insistentes, que só servem de propaganda para algo que não é o evangelho de Cristo.