21/11/2011

José, o sonhador

Há dois José importantes na Bíblia, o primeiro é o Filho de Jacó que foi governador do Egito e tinha o dom de interpretar sonhos. O segundo era José, cujo pai também se chamava Jacó, marido de maria e pai terreno de Nosso Senhor Jesus Cristo.

É interessante notar que ambos os José eram justos. O que se tornou governador do Egito sofreu o cárcere injustamente por evitar o adultério com a esposa de seu patrão Potifar, já o José de Maria por ser justo não a quis infamar sendo avisado em sonho. Alguém pode até dizer: "ora, só por causa de um sonho José aceitou Maria", mas não é bem assim, não foi só um sonho.

Podemos dizer que José era um profeta, embora não se use esse tipo de denominação para ele. Digo que ele é um profeta não no contexto de pregador mas quanto ao aspecto daquele que tem visões de Deus. Talvez o sonho para receber Maria como esposa não tenha sido a primeira revelação de José, embora não possamos ser categóricos quanto a isso, mas é certo que não foi o último sonho de revelação de José.

Após o nascimento de Jesus, José foi avisado em sonho para fugir da ira sanguinária de Herodes até o Egito, pois as crianças nascidas em Belém foram mortas por ordem do rei cliente. Também José foi avisado do momento certo de voltar para sua terra natal, pelo anjo através de sonho, após a morte de Herodes.

Vemos portanto, que José tinha um dom: o de receber revelações de Deus através de sonhos. Quando José recebe Maria por ordem de Deus em sonho, ele o faz sabendo que é Revelação de Deus e como homem justo e obediente a Deus cumpre e crê no mandado de Deus.

Esse tipo de revelação não é mais próprio de nossos dias pois a Escritura está completa. As revelações ocorreram para formar a Escritura Sagrada e após sua formação não há mais revelação a ser acrescentada.

A lição que José nos deixa dividi-se em duas: ser justo e ouvir a voz de Deus em qualquer circusntância. Só os justos ouvem e praticam a vontade de Deus, os injustos são incapazes de fazer tal coisa. Precisamos, acima de tudo, cumprir a justiça de Deus para que possamos conhecer sua Vontade. É impossível conhecer a vontade de Deus praticando a injustiça.

Outra lição mais externa que José nos deixa é quanto aos sonhos. Existem pessoas que se impressionam com sonhos ruins e ficam buscando interpretação. Quando o sonho é bom pode ser apenas um linitivo espiritual, como conforto, dado por Deus ou mesmo uma manifestação psicológica de algo importante em que vem meditando, nesse caso basta entender você mesmo o que Deus lhe diz e orar agradecendo. Ninguém mais tem dom de interpretar sonhos, pois esse tipo de dom cessou com o termino da Revelação das Escrituras.

Mas há também os sonhos maus. Às vezes sonhamos com coisas muito ruins envolvendo pessoas que amamos, geralmente buscamos interpretação e tal coisa acontece aí dizemos "bem que fui avisado em sonho que isso ocorreria", daí começa uma busca pelo misticismo evangélico. Encarar o sonho como um aviso pode até ser aceito, mas não como uma revelação de Deus, especialmente se refere-se ao mal.

Observe que os sonhos de José eram objetivos não necessitavam de interpretação, era só obedecer em justiça. Claro que eram sonho especiais, para um servo com vocação especial, mas nos dão uma idéia sobre os sonhos ruins por contraposição, isto é, se José obedeceu ordens boas em justiça devemos simplesmente orar para que o sonho mal não se concretize.

Talvez o sonho mal seja permissão de Deus, mas é usado por Satanás para nos intimidar e nos afastar da vontade de Deus e buscar misticismos. Todos nós temos sonhos maus impressionantes e assustadores, mas enquanto alguns buscam apenas interpretação, outros dobram seus joelhos e oram para que aquilo não aconteça nem com seus entes queridos nem com qualquer pessoa. Os que oram suplicando a Deus para que o mal não se cumpra, voltam a dormir tranquilos e até esquecem o mal que sonharam, pois Deus atende nossa oração nos confortando e fazendo com que aquilo não ocorra.

Muitos cristãos maduros experimentam a oração, conforto e solução de um problema sem nenhum tipo de misticismo. Deus permite que sonhemos não para buscarmos interpretações, mas para orar intercedendo por aqueles que podem ser envolvidos pelo mal. Quando somos incomodados em sonho é para levantar dobrar os joelhos e orar a Deus como intercessores e não para entrar no jogo do maligno nos impressionando com o mal.

Lembre-se que Deus é maior do que todas as coisas. Nenhum sonho mau pode vencer a vontade de Deus. Se algum sonho mau acontece é porque não oramos e entregamos devidamente à ação de Deus através de oração. Existem adivinhos evangélicos que vivem de aterrorizar pessoas com coisas misticas e sobrenaturais, não caia nessa cilada, ore a Deus e pratique a justiça que a Vontade dEle se cumprirá em sua vida acalmando sua alma.


Vigiai e orai, para que não entreis em tentação; o espírito, na verdade, está pronto, mas a carne é fraca.Marcos 14:38
BIBLIOGRAFIA & WEBGRAFIA

Bíblia Sagrada, Novo Testamento. Mateus 1 e 2. Versão King James em  português, edição de estudo. São Paulo: Abba Press, 2007

Biblia Sagrada, Almeida Corrigida e Fiel. Disponivel em <http://www.bibliaonline.com.br/acf > acesso em 21/11/2011