05/09/2011

O crente não peca?

Há quem interprete algumas passagens da primeira carta de João dizendo que o crente não peca e que o maligno não pode tocar no crente de forma nenhuma. Ora, sabemos que os crentes pecam como qualquer outra pessoa neste mundo, também sabemos que o Diabo toca em áreas especificas da vida do crente visando destruí-lo. Há uma aparente incoerência com a realidade e a Escritura, vamos verificar isso.

Sabemos que todo aquele que é nascido de Deus não peca; mas o que de Deus é gerado conserva-se a si mesmo, e o maligno não lhe toca.1 João 5:18 (ACF)
vimos que todo o nascido de Deus não prevarica, porém, quem foi gerado de Deus se cuida, e o maligno não o estorva. 1 João 5.18 (minha tradução pesquisada)
Quando João diz que o crente não peca significa que não vive na prática do pecado, sendo este um acidente no caminho. O ímpio tem disposição em pecar, vive procurando oportunidades, a esta disposição e procura intencional pelo pecado, o termo mais apropriado para isto seria "prevaricar". Claro que é um termo fora de moda mas é o que melhor traduz a ideia. O crente não vive em prevaricação, não procura o pecado, mesmo que por descuido momentâneo possa cair nele.

Não se condene pensando que "se o crente não peca, e eu pequei, então não sou crente", não é bem assim. Se você vive na prática do pecado e o busca intencionalmente, precisa de conversão, senão, sendo algo quase involuntário por uma fraqueza sua, peça perdão a Deus e prossiga sem disposição de pecar pois "ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados, e nos purificar de toda a injustiça" (1 João 1.9)

Quanto ao maligno tocar em nossa vida temos o exemplo de Jó. Alguns admitem que no caso especifico de Jó não deve ser considerado como doutrina pois é um livro praticamente poético embora traga história. Na narrativa o Diabo tocou em tudo que Jó possuía, mas não pode tocar em sua vida e não impediu que Deus o abençoasse com muito mais do que possuía antes. Penso que é um ensino forte demais, e até parte do argumento central do livro, para ser ignorado pela natureza poética do mesmo. Não é apenas um detalhe num versículo isolado mas é uma argumentação do contexto. Portanto, o maligno nos toca?

O maligno não toca na nossa Salvação, e também em nossa vida quando vigiamos e oramos, mas se descuidamos podemos ser tocados por ele no sentido que o texto de João nos mostra, o de que o maligno não pode nos tocar para impedir a vontade de Deus em nossa vida. O Diabo não pode estorvar, ou impedir, o que Deus quer para cada um de seus servos. O inimigo apenas impõe obstáculos que em Cristo são vencidos.

Com isso em vista, não precisamos procurar correntes neo-pentecostais, ou outros misticismos para vencer a ação do Diabo. Basta ter fé em Deus, vigiar e orar incessantemente, que os obstáculos serão transformados em bênçãos. Não existe igreja com "mais poder" pois o poder é de Deus que é único e livra a seus servos se pedirmos.

Para terminar deixo um aviso: Se alguma igreja diz que tem "mais poder de Deus" do que outras, fuja dela pois é covil de salteadores que não pode fazer de Deus seu "patrimônio". Deus não pertence a ninguém, nós é que pertencemos a Ele ou não. Você já pertence a Deus?