12/07/2011

A Confissão de Pedro

O título mais usado nas versões da Bíblia para a narrativa em que Pedro reconhece que Jesus é o Cristo (Mateus 16.13-23) é assim descrito: "A confissão de Pedro". Não está errado e também não está certo, penso eu, vejamos porque.

No versículo 13 Jesus pergunta aos discípulos quem o povo dizia que Ele era. A pergunta foi dirigida aos discípulos como coletividade e, como as respostas eram múltiplas, deram várias respostas. Note que as respostas referiam-se a opinião dos outros e não dos discípulos necessariamente.

Depois ele dirige outra pergunta as mesmas pessoas: "E vós, quem dizeis que eu sou?" (v. 15) Pedro responde sendo elogiado por Jesus. Alegam algumas crenças contraditórias, especialmente entre os cristãos romanizados, que como Pedro declarou e pela forma como foi elogiado, sobre Pedro seria erguida a igreja. Este tipo de interpretação foi muito conveniente para manter o poder politico daqueles que se intitulam substitutos de Cristo. Vamos analisar o texto para saber sobre o que, ou quem, é edificada a igreja de Cristo.

Primeiro recorreremos a uma anedota. Imagine uma sala de aula de curso superior de matemática com alunos formandos. Um professor pergunta - Quanto é 2+2? Logo um dos alunos responde: 4. Os outros se mantém quietos não porque não saibam mas porque não há o que acrescentar pois a resposta foi correta e completa. Apenas um aluno expressou a opinião de todos, afinal são formandos de matemática e devem saber disso há muito tempo.

Coisa semelhante acontece com a resposta de Pedro. Jesus pergunta a todos, Pedro responde de forma irretocável. Quanto aos outros discípulos vale o ditado: quem cala consente, ou melhor, concorda. A confissão de Pedro não era só dele mas de todos. Jesus diz que sobre essa pedra - a confissão publica de que Ele é o Cristo - será edificada a sua igreja.

É uma questão de lógica: a igreja é construída, embora não alicerçada, com aqueles que creem em Cristo. Nosso fundamento é Cristo, Ele é nosso alicerce e pedra angular, mas nós somos pedras desse edifício como nos mostra 1 Pedro 2.5.

Vós também, como pedras vivas, sois edificados casa espiritual e sacerdócio santo, para oferecer sacrifícios espirituais agradáveis a Deus por Jesus Cristo.

Mas e quanto à figura de linguagem que Jesus usou ao comparar o nome de Pedro com a pedra de edificação? Segundo especialistas em grego, o termo Pedro, significa um pedregulho, parecido com alguns usados nas paredes das construções daquela época em Israel (o que é coerente com 1 Pedro 2.5), mas o termo pedra refere-se a uma pedreira que não pode ser removida facilmente. Portanto, a pedreira não era Pedro, mas a confissão dos crentes em Cristo Jesus através dos séculos.

É interessante notar que, o mesmo Pedro que confessa a Cristo dando voz àquela igreja que começava a se formar através da revelação do Espírito Santo, também tenta demover Jesus de sua missão Salvadora quando Ele diz que morreria para nos Salvar. Jesus dirige-se ao espírito que usava Pedro naquele momento dizendo: "

Para trás de mim, Satanás, que me serves de escândalo; porque não compreendes as coisas que são de Deus, mas só as que são dos homens

Se a igreja se firmasse em Pedro ou qualquer outro homem, seríamos miseráveis, mas a igreja se fundamenta na fé em Cristo Salvador.

Isso nos faz pensar sobre certas indagações que fazemos: "Como aquele homem pode pregar e ensinar tão bem e cometer certas atitudes?" Ora, o pecado não anula a graça, nossos erros não são maiores do que a graça de Deus. Assim como Pedro, somos falhos, e a nossa força não está em nós, mas em nossa fé em Jesus como Senhor e Salvador de nossas vidas.

Aproveito para convidá-lo a levar a mensagem desta confissão a outras pessoas convidando-as a crer em Cristo. Se você não aceitou a Cristo como Salvador e Senhor, confesse-o, não espere até ficar perfeito. Nem Pedro, nem os outros discípulos eram perfeitos quando confessaram. A nossa parte é crer, confessar, obedecer, se entregar a Cristo. Nós somos incapazes de mudar nosso caráter, mas quando confessamos a Cristo, Ele pode tudo.


WEBGRAFIA