12/05/2011

Bolsonaro é marginal?

020532.JPG

Hoje assisti a declaração de uma militante eleita dos direitos gays, desabonando e agredindo o Deputado Jair Bolsonaro por seu pensamento em relação a tais direitos.
Como batista acredito que todos devem ter a expressão de pensamento garantida, mas isso vale para os dois lados, não é uma via de mão única. Alguns desejam expressar-se proibindo e criminalizando a expressão do outro. Isso não é um procedimento ditatorial?

Não vou discutir a questão gay, pois não apoio esse tema. Eu apoio e levo a bandeira do Evangelho de Cristo. O Evangelho que permitiu voz a todo tipo de pessoa, pela primeira vez na história há cerca de 2000 anos. Embora militantes políticos de diferentes grupos arroguem para si esta conquista. Mulheres e crianças eram tratados na igreja primitiva (antes da romana) em igualdade com os homens, escravos e livres eram irmãos. A verdadeira igreja de Cristo nunca negou voz a ninguém, nem a seus opositores e até carrascos.

Tenho percebido uma discriminação crescente quanto aos valores familiares e argumentos religiosos. Os argumentos religiosos devem ser respeitados. A sociedade se organiza pela manutenção e propagação de saberes. Entre os saberes temos o científico, filosófico, empírico e teológico. Ao diminuirmos a religião desmerecemos o saber construido historicamente pela vontade de grupos muito específicos. Se não respeitamos a manifestação dos saberes, respeitaremos a quê? Às regras que nos ditarão sobre punição?

Sei que a perseguição se abaterá sobre a igreja cedo ou tarde. Pelo menos espero que a "lei da mordaça" demore a avançar o tempo suficiente para que anunciemos o Evangelho do Reino a todo mundo.