18/04/2011

Você já pecou?

Rom 3:23  Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus;

Hoje um pregador contou que alguém não se lembrava se, em algum momento da vida, seu pai natural pecara. Óbvio que pecou, senão seria o próprio Cristo. Isto nos faz pensar: essa pessoa precisa de Deus? Se não peca, não precisa, pois nem mesmo é uma pessoa. Se de fato peca, e não reconhece, está condenado ao inferno, por mais notória e ilibada que seja sua fama.

Alguns pastores vivem se preocupando em demonstrar para outros que são irrepreensíveis. Não podemos ser irrepreensíveis perante os homens, embora este seja nosso alvo. Porém somos irrepreensiveis em Cristo que nos justifica. Apesar disso, sempre haverá alguém que lembre de um pecado nosso. Se não houver, é sinal de extrema e perigosa dissimulação. Uma dissimulação que manipula até a percepção espiritual do próximo.

Veja o que Jesus diz para esse tipo de pessoa (alegadamente) irrepreensível: 
  Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! porque edificais os sepulcros dos profetas e adornais os monumentos dos justos, e dizeis: Se tivéssemos vivido nos dias de nossos pais, não teríamos sido cúmplices no derramar o sangue dos profetas. Assim, vós testemunhais contra vós mesmos que sois filhos daqueles que mataram os profetas. Mat 23:29-31
  
Devemos buscar ser irrepreensíveis, mas não devemos criar uma máscara para isso. Devemos ser autênticos. O homem irreprensível não é o que não peca, mas o que se arrepende e pede perdão. Através do perdão nos tornamos irrepreensíveis e não somente pelo comportamento, ou testemunho de bajuladores.

Se você deseja ser irrepreensível, comece aprendendo a pedir perdão, a arrepender-se, a admitir que é pecador, e não permitindo que ninguém o coloque como alguém que nunca pecou, pois isto é o maior de todos os pecados: o pecado contra o Espírito Santo.