19/03/2011

Plano de Aula: Evangelização dos enfermos

Amanhã lecionarei na EBD a lição 10 da revista Palavra & Vida da Convenção Batista Fluminense. Embora haja controvérsias quanto a qualidade editorial de todas as revistas de EBD, até daquelas que se dizem "mais batistas que as outras", não devemos levar isso em consideração.

A afirmação de que uma revista é melhor do que outras parte de um erro: usar a revista da EBD para controle e não para ensino. Um livro didático (a revista) é apenas um ponto de partida e não substitui um bom professor de EBD e nem mesmo a Bíblia.

A necessidade de um consenso pela revista mostra a fragilidade do consenso bíblico consciente em algumas igrejas. Os consensos frágeis, são geralmente impostos, os consensos fortes, são geralmente construídos por uma ação pastoral coerente.

Portanto, não levaremos em consideração nesse plano de aula a revista como irretocável, ou como manual de procedimentos. Nosso objetivo é construir um plano de aula a partir de conceitos da revista e da reflexão bíblica pessoal que compartilhamos com vocês.

Lembre-se que toda aula bíblica deve ter seu toque e empenho pessoal. Não resuma seu ensino à revista ou ao plano de aula que apresento, pois isso desvirtuaria a finalidade auxiliar de ambos os instrumentos fazendo até com que tomem o lugar da Bíblia de forma indesejada. Não queremos uma escola "revística" dominical, mas sim, uma Escola Bíblica e consciente.

Quanto a forma como está estruturado este plano de aula, os momentos de preleção (palestra) estão entremeados com diálogos. A aula inicia com uma provocação à reflexão e encerra com uma dinâmica que propõe uma atitude, bem como a ação prática e espiritual de orar pelos enfermos.


Introdução: 
Reflita com a turma sobre o micro conto de Talita Dantas "Tudo por Ele"

Desenvolvimento:

  1. (Preleção)Para Compartilhar o Evangelho com os enfermos
    1. Precisamos entender que a fé ajuda na cura, porém Deus é quem cura.
      1. No tempo de Jesus, havia muitos enfermos. A medicina era de difícil acesso. Eram comuns os "homens santos" que passavam pelas cidades orando por cura das pessoas. 
      2. João Batista preparou o caminho para Jesus sem fazer nenhuma cura. Era necessário que mesmo procurando cura o povo entendesse que o mais importante era a salvação.
      3. Há vários versículos em que Jesus cura uma pessoa e logo depois diz "sua fé te salvou". Portanto, a fé em Jesus é fundamental para a Salvação, a cura é ato misericordioso de Deus.
(Diálogo)Contextualize com a realidade atual, compartilhe experiencias conhecidas de erros e acertos ma visitação a enfermos
    1. (Preleção)Precisamos tomar cuidado com as falsas esperanças, expectativas e avaliações
      1. Atualmente temos muitos "homens santos" que oferecem cura. Ao contrário de João Batista, que preparou o caminho para Jesus, não enfatizam o arrependimento e Salvação. Para quem eles estão preparando o caminho?
      2. "Homens Santos" criam falsas esperanças em si mesmos, lucram com as expectativas, e geram avaliações negativas quanto ao verdadeiro evangelho, que é confundido com seu falso evangelho.
        1. Suas artimanhas, que não devemos seguir, são:
          1. Declarações levianas de cura.
          2. Receitas "reveladas" numa espécie de pajelança
(Diálogo) Compartilhe experiências de cura onde o "curandeirismo evangélico" não foi necessário.
    1. (Preleção)Devemos estar aptos a ser companheiros na agonia
      1. Para entender a agonia precisamos de compaixão
        1. Para não julgar as fraquezas do enfermo
        2. Para não nos fazer obrigatoriamente de exemplo
      2. Para ser companheiro na dor precisamos de sabedoria
        1. Para ter o silêncio ou a palavra certa na hora certa
        2. Para ajudar nas necessidades
        3. Para enfatizar a esperança.
(Diálogo) Compartilhe experiencias onde a compaixão e o companheirismo foram importantes para a cura de pessoas próximas a nós, ou inclusive nós.
Dinâmica: Peça que alunos citem voluntariamente o nome de um enfermo conhecido e que responda o que poderíamos fazer por ele com foco em sua Salvação.


Conclusão: Terminar a aula com oração em grupos pelos enfermos da igreja.

Espero que este plano de aula seja útil para você que é professor de EBD. Que Deus o abençoe.