13/02/2011

Provar o Senhor

Não podemos provar a Deus, mas o salmo 34.8 nos diz: "Provai e vede que o Senhor é bom; bem aventurado o homem que nele se refugia". Alguém poderia pensar então que podemos provar a Deus. O raciocínio parece lógico, mas é coerente?

A segunda parte do versículo citado nos dá maior entendimento sobre como podemos provar ao Senhor: "bem aventurado o homem que nele se refugia". É uma característica da poesia dos Salmos o paralelismo, isto é dizer a mesma coisa com outras palavras logo após a primeira afirmação. É como se dizermos "Vamos para casa, caminhemos para nosso lar" é a mesma afirmação repetida mas com maior poesia e que enfatiza certo aspecto da afirmação anterior.

Provar ao Senhor significa experimentar viver com ele, refugiando-nos nele. Claro que a vida cristã não é um experimento científico com o qual constatamos verdades incontestáveis para os outros, mas quando nos refugiamos em Deus experimentamos aquilo que somente nós podemos entender em nossa necessidade de refúgio pessoal.

Quando necessitamos de refúgio temos nosso entendimento aberto ao invisível. Se não experimentamos nos refugiar em Deus podemos até contestar Sua bondade, mas por nossa própria ignorância quanto ao que é viver em Sua dependência. Há pessoas que pensam por Deus à prova pela ciência ou filosofia, tentam prová-lo pelo desafio, mas a bondade de Deus é reconhecida somente quando reconhecemos que somos vulneráveis e nos refugiamos nele.

Desejo que todos nos refugiemos em Deus para conhecer a Sua bondade. No que temos nos refugiado? Não adianta dizer que não nos refugiamos em nada. Sempre nos refugiamos em algo. É até uma necessidade da fragilidade humana. Podemos ter vários refúgios em que confiamos: casa, trabalho, diplomas, títulos, mas nenhum é capaz de mostrar sua bondade pela experiência. A maioria dos refúgios podem ser apenas úteis, mas não necessariamente bons. Deus é o refúgio seguro e perfeitamente bom que permanece para sempre. Refugie-se no Senhor e prove sua bondade.