28/02/2011

Chamando Deus de "cara"...

Outro dia ouvi a oração emocionada de um jovem. Ele chamou Deus de "cara".

Senti sua reverência mesmo com a palavra imprópria, ele estava realmente se abrindo com Deus. Não era uma forma desrespeitosa de tratar Deus, era a maneira como aquele jovem se referia a um amigo. Isso me fez pensar...

Às vezes nos dirigimos a Deus como "Onipotente e sempiterno Senhor do Universo", aliás algo meio fora de moda. Nem sempre tanta celebração demonstra nosso sentimento verdadeiro. Claro que depois de algum tempo tal jovem saberá que Deus não deve ser chamado de "cara" e muito menos de formas extremamente rebuscadas, mas Ele já sabe que Deus é seu amigo. Seu melhor amigo.

Há uma diferença grande entre a expressão individual e a divulgação de tal tratamento feito pela mídia há algum tempo. Este jovem não estava se referindo a um sujeito qualquer, mas a um grande amigo que entende sua incapacidade de expressão perante sua majestade e que é misericordioso para Salvar.

Devemos aprender com os jovens algumas coisas que julgamos irreverentes mas que não são. A irreverencia nos vem à mente por nosso próprio preconceito. A noção de que Deus é nosso grande amigo com o qual podemos confiar é mais importante que saudações rebuscadas, é mais importante do que esconder com verborragia aquilo que não conseguimos dizer ao Senhor.

E Tomé respondeu, e disse-lhe: Senhor meu, e Deus meu! João 20:28