14/01/2011

Almoço Bíblico

Jaspe
Continuando o estudo bíblico com minha colega de trabalho (Oi, Simone!), estudamos Apocalipse 4.

Aparentemente o texto é muito difícil se formos mistificar seus simbolos de forma descontextualizada com nossa época e aquela em que o texto foi escrito. A mistificação dos símbolos do Apocalipse tem sido a desculpa para muitas heresias. Estudamos este capítulo tendo em vista que sua mensagem é atual, que possui uma verdade que se aplica a qualquer momento da vida da igreja.
Sardônica Polida

Do versículo 1 ao 4 João relata sua visão do senhorio de Cristo no céu, que pode ser verificada pela simbologia por simples analogia sem nenhuma mistificação. As pedras como jaspe e sardônica lembram o sangue que Jesus derramou por nós, o arco celeste em volta do trono lembra a aliança feita com Noé marcada pelo arco-íris (embora citado da cor verde). Veja as imagens ao lado de pedras de jaspe e sardônica para perceber sua semelhança com o sangue do Salvador que simbolizam (fotos: Wikimedia). Aprendemos que Jesus sacrificou-se por nós confirmando sua aliança conosco através do sangue, e que possui todo poder no céu e na terra representado pelo refulgir dos relâmpagos e das grandes vozes. A descrição do mar de Vidro como cristal simboliza a pureza do lugar, a santidade perfeita do céu. Os sete Espíritos de Deus simbolizam que Jesus é o Espírito Divino e perfeito. Jesus é perfeitamente Deus, Senhor Todo-Poderoso do céu e da Terra e nosso Santíssimo Salvador este é o ensino importante neste trecho.

Sardônica Bruta
Os vinte quatro tronos e anciãos com vestes brancas simbolizam o Povo de Deus tanto judeus que viveram pela fé em Cristo (12 tribos) quanto gentios (igualados a eles espiritualmente pelo número). Note que os anciãos possuiam coroas, vestes brancas, tronos, que foram prometidos as 7 igrejas da Ásia pela fidelidade a Deus. Aprendemos aqui que Jesus cumpre sua Palavra para com todos os que crêem nele como Salvador, que não há ninguém com mais mérito do que o outro, que somos salvos pela graça e misericórdia de Deus.

Quanto aos animais celestiais, não nos cabe fazer grandes interpretações sobre sua natureza, basta apenas sabermos que eles demonstram que Jesus merece adoração eterna da Igreja formada pelos salvos por Cristo e também de todos os seres celestiais sejam lá quais forem, anjos, querubins ou serafins. Quem não louva a Deus conforme a Sua Palavra não pode ver a Salvação.

Os símbolos parecem estranhos para nós, isto é por motivo histórico de divulgação da mensagem do Apocalipse numa época de perseguição romana aos cristão de forma que os perseguidores não percebessem do que se tratava, mas somente os crentes. Os símbolos nos mostram também que as verdades bíblicas da Salvação em Cristo são maiores do que podemos perceber ou imaginar. Confiemos na Salvação em Jesus Cristo e prossigamos para o alvo da suprema vocação em Cristo Jesus.


Mas, como está escrito: As coisas que o olho não viu, e o ouvido não ouviu, E não subiram ao coração do homem, São as que Deus preparou para os que o amam.
1 Coríntios 2:9