16/12/2010

Sofrer ou não sofrer?

foto: soil-net.com

O salmo 32 nos fala sobre a bênção de não passar por sofrimentos quando confessamos nossos pecados a Deus. Pode-se afirmar: "confessei meus pecados mas sofro". Há incoerência na Palavra?
O versículo 5 diz como devemos confessar nossos pecados:
Confessei-te o meu pecado e a minha iniqüidade não mais ocultei. Disse: confessarei ao SENHOR as minhas transgressões; e tu perdoaste a iniqüidade do meu pecado.
Confessar pecados não é se desculpar com Deus. Não é apenas pedir perdão. É reconhecer seu erro com arrependimento para que Deus o perdoe. Alguns pensam que basta pedir perdão e tudo bem, como estão enganados! Arrependimento e perdão andam juntos e se complementam. 
Perdão não é algo burocrático, não basta formular o pedido, até pagar sacrifícios. Para ser perdoado é necessário reconhecer nossa situação diante de Deus, deixar o caminho do mundo e seguir o caminho de Deus. Não podemos mentir para Deus, porém Ele é poderoso para perdoar uma multidão de pecados daquele que se arrepende.
O versículo 7 nos promete uma bênção:
Tu és o meu esconderijo; tu me preservas da tribulação e me cercas de alegres cantos de livramento.
Ser preservado da tribulação não significa que somos imunes a ela. Raciocine comigo, só pode ser preservado, protegido, salvo de algum mal quem potencialmente passaria por tal. Como qualquer pessoa o cristão pode passar por tribulação, até sofrer, mas como a palmeira que se verga mas não quebra com o furacão venceremos as tribulações se confiarmos em Deus.
O Senhor não nos promete ausência de sofrimento, mas preservação, apesar do sofrimento. Não entenda a Bíblia errado e se revolte contra Deus como sugere a falsa teologia da prosperidade. O servo aprovado é aquele que passou pela prova. Não é assim em tudo na vida? Confiemos em Deus para receber aprovação apesar das tribulações.
O verso 10 nos dá outra lição:
Muito sofrimento terá de curtir o ímpio, mas o que confia no SENHOR, a misericórdia o assistirá.
Curtir o couro é prepará-lo para que não apodreça. Curtir o sofrimento é fazer com que não acabe nunca. Devemos deixar que o mal perecivel se apodreça e deteriore, para que não se acumule em nossa alma. Se confiamos no Senhor, somos ajudados por sua misericórdia, nos tornamos mais fortes, não porque somos fortes, mas porque o Senhor é. 
Deus pode usar vários recursos, humanos, naturais, ou espirituais, para nos ajudar a vencer o sofrimento, mas todos eles só serão eficazes se firmados em Cristo. Em quem nos firmamos quando vencemos problemas? É fundamental que essa pessoa seja Jesus. Só Ele é o único, suficiente e verdadeiro salvador.
O mundo oferece salvação enlatada, corruptível, que nos leva a ver beleza no mal destruindo nosso interior. Depois só resta o sofrimento. De que adianta a salvação mundana? Nada.
Jesus nos oferece Salvação eterna para nossa alma em novo céu e nova terra onde habita justiça. Ele também pode nos sustentar nessa terra quando sofremos. Há decisões que só tomamos porque temos a Cristo, que desafiam o sofrimento e o desejo pelo conforto, porque desejamos fazer a vontade de Deus. 
Ainda estamos nesse mundo, portanto sofreremos. Não há novidade nisso. Mas é necessário não "curtir" o sofrimento como os ímpios, mas desfrutar a misericórdia do Senhor com louvor a Ele, sejam quais forem as circunstâncias.
WEBGRAFIA:
Messiah (George Frederick Handel) London Philharmonic Orchestra Handel - Messiah / Ameling · A. Reynolds · Langridge · Howell · Marriner