15/11/2010

Primeiro Monteiro Lobato, depois...

Segundo os idosos de minha família, Monteiro Lobato foi um dos primeiros a defender que o Brasil tinha petróleo. Disseram que era maluco, foi preso por Getúlio Vargas, o mesmo que fundou a Petrobrás posteriormente.

Agora querem censurar seus livros infantis. Livros que retratam uma época, com suas virtudes e problemas. Censurar um livro e não refletir sobre o que ele diz já é um preconceito. Mas Monteiro Lobato foi só um ensaio. Muitos gostariam de censurar a Bíblia.

Interessante é que já propuseram supressão de textos "agressivos" da Bíblia, alegando que a Bíblia incentiva a agressividade em pesquisas inconclusivas e mal explicadas - aquelas pegadinhas de mal gosto que chamam de dinâmica de grupo - numa sociedade onde há pecados escancarados e ninguém liga.

A censura só é interessante para quem deseja afogar a verdade. O acesso a textos religiosos e da cultura universal é fundamental para o exercício da liberdade. Especialmente a Bíblia Sagrada que nos oferece a verdade que liberta.

A Bíblia nos conta a vontade de Deus através da vida de pessoas que o serviam. Ninguém é perfeito, nem os servos de Deus. É óbvio que a fidedignidade da Bíblia se constata não só pela sua confirmação em nossa vida, mas também pela coerência de sua narrativa. Os salvos, chamados de santos, separados, não são seres sobrenaturais, são seres humanos. Com a correção de nossos erros aprendemos a viver conforme a vontade de Deus. A Bíblia diz que há aqueles que não suportam a correção:

Se suportais a correção, Deus vos trata como filhos; porque, que filho há a quem o pai não corrija? Hebreus 12:7 

Estes preferem aprender com erros. Mas o erro só ensina a errar. É a correção que ensina verdadeiramente.

Há também os que se entristecem e revoltam com a correção de Deus. Mas o servo de Deus, mesmo que se entristeça por um tempo, logo verá a felicidade de ser corrigido por Deus:

Eis que bem-aventurado é o homem a quem Deus repreende; não desprezes, pois, a correção do Todo-Poderoso. Jó 5:17 

Concluindo, cada um deve censurar a si mesmo, conscientemente. Devemos reconhecer nossos erros e aprender com a Palavra de Deus. Devemos encarar nossas falhas e fraquezas e corrigi-las para aprender,  não tentar esconde-las pela censura pois:

Não tomarás o nome do SENHOR teu Deus em vão; porque o SENHOR não terá por inocente ao que tomar o seu nome em vão. Deuteronômio 5:11
Nós é que precisamos ser corrigidos pela Palavra de Deus. Não temos nenhuma capacidade para corrigi-la. Vamos orar e pregar a Palavra de Deus para que outros conheçam Sua vontade, aceitem Sua Salvação, e tenham a vida transformada para melhor.