28/11/2010

Pessoas inteligentes acreditam em Deus?

Leonardo da Vinci

Lendo uma postagem sobre se pessoas inteligentes acreditam em Deus pincei algumas variáveis de argumentos que pretendo analisar sob o foco bíblico que é nossa proposta principal.


Os que estudaram mais são mais inteligentes?

Todos os seres humanos são inteligentes. Pode ocorrer alguém com pouquíssimo estudo mas muito inteligente. É um vício preconceituoso confundir formação acadêmica com inteligência. Tal ideia está ligada ao processo de manutenção do poder sobre o oprimido que sempre esteve ligada ao pertencimento do conhecimento de forma perversa. Quem se diz mais inteligente, afirma-se mais capaz para comandar os menos inteligentes. É uma afirmação política.

Segundo Aurélio, inteligência é "faculdade de aprender, apreender ou compreender; percepção, apreensão, intelecto, intelectualidade". Todo homem, como ser inteligente, é capaz de compreender e aprender contextualizado na sua cultura. Quanto à intelectualidade não deve ser entendida como erudição, pois pessoas de grande inteligência em diversas áreas eram analfabetos. Não faremos uma enumeração longa mas apenas citaremos o Mestre Vitalino, famoso ceramista do Nordeste brasileiro com um gênio sem muita leitura.

Pessoas que se dizem mais inteligentes, referem-se a si mesmos conforme a sua própria cultura. Isto é, só é razoável e inteligente aquilo que ele domina, ou que pelo menos não contraria seu domínio de conhecimento. Quanto a estes a Bíblia nos alerta sob sua embriaguez no próprio entendimento:

Que aprendem sempre, e nunca podem chegar ao conhecimento da verdade. 2 Timóteo 3.7

O foco bíblico é a Verdade. As teorias dos eruditos procuram negar a verdade, preferem até a falsidade. Pois se admitirem a verdade, podem ser contraditados por ela. Isso não é inteligência, é artifício de entrincheiramento intelectual. Biblicamente, inteligência é a capacidade de aprender e reconhecer a verdade. Se um erudito não tem essa capacidade como pode dizer-se pertencente à classe reservada dos dominantes inteligentes?

Não há sabedoria, nem inteligência, nem conselho contra o SENHOR. Provérbios 21:30

Só os mais inteligentes pensam por si mesmos?

A ideia de que somente os mais inteligentes pensam por si mesmos é perniciosa. Ora, se os menos inteligentes "não pensam por si mesmos", quem é mais indicado para pensar por eles do que os "mais inteligentes", traduzindo: aqueles que possuem poder embandeirado na erudição, ou numa pretensa erudição. Aliás, tal erudição baseada no pensamento de outros.

Isto mostra mais uma vez a motivação dominadora daqueles que se perpetuam como mais inteligentes, e que via de regra tem acesso a uma melhor formação acadêmica do que o povo em geral. Quando falam dos religiosos dominadores, estão apenas com ciúmes, e gostariam de ter a mesma influencia. Não são somente os eruditos que pensam por si mesmos, pessoas simples também o fazem. Muitas vezes os mais simples são mais coerentes do que os intelectualizados.

O temor do SENHOR é o princípio da sabedoria, e o conhecimento do Santo a prudência. Provérbios 9:10
O temor do SENHOR é o princípio da sabedoria; bom entendimento têm todos os que cumprem os seus mandamentos; o seu louvor permanece para sempre. Salmos 111:10
O temor do SENHOR é o princípio do conhecimento; os loucos desprezam a sabedoria e a instrução. Provérbios 1:7

Os mais inteligentes são mais racionais?

O conceito de racionalidade ainda vigente é baseado no método científico da observação e experimentação, repetição. Tal método é falho, pois nem tudo pode ser observado, experimentado ou repetido. Essa falha implica que um grande número de coisas relevantes para a humanidade fica fora do âmbito da ciência.

Ser cientificamente racional, é ser racionalmente limitado a um método. Deus não pode ser limitado a um método incompleto. Nossos métodos sempre serão incompletos pois somos finitos. Dizer que os mais inteligentes não creem em Deus é afirmar, de fato, que alguns se iludem com coisas que se aferram e que não podem chegar ao verdadeiro entendimento das coisas, pois toda a criação se entrelaça o que gera infinitos conhecimentos e não podemos sequer, atualmente, conter em nossa mente todo conhecimento produzido no mundo, como foi possível no passado pelos gênios universais.

Se não podemos conter o conhecimento que já foi produzido como podemos pretender ser mais inteligentes do que aqueles que simplesmente tem um conhecimento diferente do nosso? E o conhecimento que será produzido depois? Novos conhecimentos podem potencialmente contestar os anteriores, sem ser necessariamente melhores apenas porque são melhor aceitos pela contemporaneidade.

Essa situação leva muitos à uma atitude de negação, do descaso de não querer saber. Alguns pensam que admitir não poder saber é uma opção mais inteligente. Ao contrário, é conformismo com a falsidade confortável que criam para si mesmos. Ora, a verdade não é confortável para quem pensa, mas sem o mínimo dos conhecimentos tidos como verdade, ninguém moraria num apartamento construído por um engenheiro relativista.

Veja o que nos diz o Livro de Provérbios quanto à limitação da sabedoria, a necessidade de servir e confiar em Deus, e o exemplo na humildade de reconhecer nossa inteligencia limitada:


"Palavras de Agur, filho de Jaque, o masaíta, que proferiu este homem a Itiel, a Itiel e a Ucal: Na verdade eu sou o mais bruto dos homens, nem mesmo tenho o conhecimento de homem.
Nem aprendi a sabedoria, nem tenho o conhecimento do santo. Quem subiu ao céu e desceu? Quem encerrou os ventos nos seus punhos? Quem amarrou as águas numa roupa? Quem estabeleceu todas as extremidades da terra? Qual é o seu nome? E qual é o nome de seu filho, se é que o sabes?
Toda a Palavra de Deus é pura; escudo é para os que confiam nele". Provérbios 30.1-5
Ser mais preparado nos deixa menos dependentes de Deus?

Ser mais preparado não nos deixa menos dependentes de Deus. O preparo apenas nos dá a ilusão arrogante de que precisamos menos de Deus. Todos precisamos de Deus pois nunca estaremos preparados, por mérito pessoal, para o mundo espiritual no pós morte. Precisamos de Jesus como mediador entre nós e Deus para a Salvação. Só Ele é suficientemente preparado para tudo. Somos todos dependentes dele. Encerro com os versículos abaixo que demonstram a opinião bíblica sobre o assunto:

A soberba precede a ruína, e a altivez do espírito precede a queda. Provérbios 16:18
Na verdade, na verdade vos digo que quem ouve a minha palavra, e crê naquele que me enviou, tem a vida eterna, e não entrará em condenação, mas passou da morte para a vida. João 5:24
O temor do SENHOR é fonte de vida, para desviar dos laços da morte. Provérbios 14:27