14/09/2010

Não existe argumento contra Deus

Não há sabedoria, nem inteligência, nem conselho contra o SENHOR.  (Pv. 21.30)

A Bíblia é extremamente coerente ao expor a Fé Salvadora em Deus como questão de fé. Qualquer um pode entender que a existência de Deus é pelo menos uma probabilidade fortíssima e incontestável mesmo que decida não crer em Deus.

A existencia de Deus é uma percepção indutiva, isto é, não podemos provar ou não provar mas aceitamos pela fé. Como somos incapazes de conceber a existência ou não existência de Deus pela lógica formal ou dedutiva, não podemos dizer por A + B que provamos Sua existência. É somente questão de fé. É sinal de Deus que a Bíblia escrita a cerca de 3500 anos atrás tenha tal conceito, enquanto pessoas sem Deus, tentam provar que Deus não existe através de fórmulas dedutivas julgando-se coerentes quando na verdade não são, pois provar um pensamento totalmente indutivo pela dedução é no mínimo incoerência de argumentação. A ciência é dedutiva, laboratórial, e portanto não pode reproduzir as condições necessárias para afirmar categoricamente que Deus não existe. Quando um cientista ou seus repetidores afirman-se num coro contra Deus o fazem numa falsa dedução e numa falsa ciência, geralmente apenas com conteúdo mais político do que realmente lógico ou ciêntifico.

Alguns já perceberam que seus argumentos são todos falaciosos e correm a outros meios em sua luta contra a fé em Deus, pois se não creem em Deus não lutam contra Deus mas sim contra os que têm fé nele. Os crentes, os que aceitam a Deus como real e vivem como Ele ensina são o alvo das pessoas sem Deus pois se não creem em Deus o Senhor não seria seu alvo, portanto vemos que nós que servimos a Deus, nos tornamos alvo da ação política dos incrédulos.

Uma consequência natural da falta de argumentação plausível é a busca pela ação política através dos tribunais, afinal, sua pregação pretenciosamente lógica não faz sentido e precisam buscar outro recurso que não seja argumentativo ou baseado no diálogo.

O apresentador da TV Bandeirantes, Luis Datena, que crê em Deus embora não professe religião encontra-se num empasse jurídico porque uma determinada associação de pessoas sem Deus sente-se ofendida por afirmações de fé em Deus feitas pelo apresentador, e tais informações definem que pessoas sem Deus fazem as violências que vemos atualmente. Ora, é ilógico que ataquem o apresentador pois realmente são pessoas sem Deus que agem criminosamente, mas não necessáriamente TODAS as pessoas sem Deus. Ao se dizer “pessoas sem Deus”, sem precedência de artigo, entende-se que são algumas pessoas sem Deus que são criminosos bárbaros. Quando cristãos são condenados por algum motivo na mídia não saímos processando ninguém pois sabemos não se referem a todos os cristãos mas sim a alguns que, pelo menos, se dizem cristãos. Ao receber a afirmação de que pessoas sem Deus cometem crimes como generalizada a todas as pessoas sem Deus, assume-se o que o apresentador NÃO falou em mais um erro da lógica sem Deus. Se o apresentador falou de forma genérica referindo-se a algumas pessoas indignas do universo dos homens sem Deus porque todos se importariam com tal coisa se isso não se refere a todos?

Vemos nessa atitude de não suportar ouvir conceitos religiosos, mesmo que expostos por quem não professa uma fé formal mas que tem valores cristãos, uma intolerância que pode ser expandir por todas as religiões, especialmente o cristianismo por sua importância social, histórica, moral e consequentemente política. Na antiga URSS e mesmo na China comunista homens sem Deus proibiram que se cultuasse a Deus, especialmente o Deus cristão, tentaram impor suas ideias à força, mas inutilmente pois a Palavra de Deus permanece para sempre. Devemos dar atenção ao que atentam contra o cristianismo mesmo que em sua forma conceitual, pois há uma possibilidade que logo, logo, voltem-se contra a instituição da igreja de Cristo e os servos de Deus que talvez sejam o alvo principal.