03/09/2010

Deus existe!

Alguns ateus defendem que crentes, especialmente cristãos por sua representatividade, devem provar a existência de Deus e evocam de forma incoerente a Constituição Federal Brasileira que diz que todos são inocentes até que se prove o contrário. Segundo eles “Deus não existe até que se prove o contrário”.

A medida constitucional tem sua lógica nos direitos do acusado contra seu acusador até a última instância, alguns ateus que acusam Deus de não existir, por não conseguirem provar suas alegações dizem que o onus da prova está com o acusado e seus seguidores.

Tal argumento é uma falácia para fugir da responsabilidade de provar o que se diz, parece correto mas não é. Pois se o acusado é inocente até que se prove o contrário, podemos dizer que João é honesto até que se prove o contrário, José é trabalhador até que se prove o contrário, e os ateus somente “não sabem o que fazem” até que se prove o contrário.

Dizer que Deus não existe é uma acusação grave contra o sustentador de toda existência, portanto cabe aos acusadores provar sua não existência se fizermos inferência pelo texto constitucional, afinal, os crentes não acusam Deus mas sim os incrédulos, portanto crentes que não acusam não precisam provar nada. Nem mesmo Deus precisa de advogado pois Ele é nosso benevolente e justo advogado e juíz, portanto nosso objetivo aqui é somente mostrar que tal argumento contra Deus é falaz.

Uma paráfrase correta do texto constitucional, e contextualizada a uma boa argumentação, seria: “Deus existe até que se prove o contrário”. Simples. Porque erram grosseiramente nos argumentos?

Não poder provar a “inexistência” de Deus não dá direito aos acusadores, incapazes de demonstrar provas, à distorção lógica para fugir do ônus da prova. Se fôssemos seguir a lógica insana do argumento ateu cairíamos num regime de exceção onde bastaria acusar um cidadão para que este fosse preso e, ainda preso, teria que se virar para provar que é inocente. Não queremos isso para nossa sociedade, então porque desejamos tão mal a Deus? Lembrando a história, esse tipo de acusação era comum em regimes onde se adotava a política ateísta como o comunismo, bem como em outros regimes de exceção não ateus, e até entitulados cristãos, como a ditadura militar instituida em 1965 no Brasil.

Deus existe até que se prove o contrário, e mesmo depois disso, pois sua existência não depende de prova ou acusação. O apóstolo Paulo em Romanos 8.33 nos diz “Quem intentará acusação contra os escolhidos de Deus? É Deus quem os justifica.” Ora se os servos de Deus não podem ser acusados pois Deus os justifica, como é que alguém pode tentar acusar o justificador?

Oremos para que tais pessoas deixem seu pensamento político de lado e ouçam a voz de Deus em seus corações, pois sempre há esperança enquanto neste mundo temos tempo para crer e aceitar a Jesus pois “..a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, aos que crêem no seu nome” João 1.12