21/08/2010

Salário e Herança

O homem busca garantias de alcançar as melhores coisas seja por direito adquirido ou por esforço pessoal, mas nem sempre conseguimos a segurança que desejamos. Há pessoas que tem direito a heranças que acabam não recebendo por desconhecerem seu direito ou porque não conduziram bem a sucessão de direitos, ou até por terem sido lesadas de forma difícil de provar. Há os que se esforçam também para adquirir segurança pessoal, familiar ou profissional, mas nem sempre são retribuídos à mesma medida de seus esforços. Sabendo que há exceções quanto ao que pensamos merecer neste mundo, analisaremos nosso merecimento no campo espiritual quanto a uma possível herança ou conquista.

 

Alguns pensam que o reino dos céus é conquistado por esforço durante a vida terrena. É óbvio que todo nosso esforço terreno só produz coisas passageiras e que muitas vezes são esquecidas, se não por nós, pelos que nos sucederão. Nossa vida profissional é um exemplo: nos dedicamos a construir uma reputação durante anos de nossa vida com trabalho duro, mas chegará um dia em que outra pessoa ocupará o nosso lugar e seremos, quando muito, mera lembrança em solenidades sem ação efetiva e transformadora. Alguns até influenciam gerações com idéias importantes, mas logo tais idéias serão absorvidas por outros que a transformarão em algo mais complexo tornando nossas idéias geniais em mero rudimento. Claro que há homens como Einstein cujas idéias tem marcas profundas na sociedade secular, mas cujo mérito nada vale na eternidade. Como poderíamos, se fosse o caso, nos gabar de descobrir a Lei da Relatividade diante do Criador?
 
Percebemos, então, que precisamos de alguém infinito e todo poderoso para realizar o esforço necessário para a Salvação. Somente Jesus foi capaz de tal esforço, nenhum outro, pois "nenhum outro nome há, dado entre os homens, pelo qual importa que sejamos salvos" (Atos 4.12). O ladrão na cruz não foi salvo por suas boas obras, mas pela fé em Jesus. Não importa o quanto nos esforcemos para chegar ao céu, será inútil se não aceitarmos a Jesus. O esforço do homem sem Jesus para alcançar o céu é tão absurdo quanto uma borboleta tentar esmagar uma grande baleia no fundo do mar com suas patas minúsculas. Não podemos nos esforçar para a salvação porque somos incompetentes para tal, mas para Deus tudo é possível. A Salvação é uma possibilidade real para aqueles que crêem em Cristo e fazem sua vontade.
 
Para um outro tipo de pessoa a Salvação é considerada uma espécie de direito espiritual inerente ao homem a quem Deus não se negaria Salvar. Seria algo como uma herança, às vezes até considerada hereditária, atribuída a uma classe social, ou a alguns felizardos que nascem com direito dado por Deus de Salvação. Sob certo ponto de vista a Salvação é realmente uma herança, mas não para os nascidos conforme o mundo, mas sim para os nascidos conforme a vontade de Deus. Vou explicar melhor. Toda pessoa que nasce neste mundo herda bens de seus parentes, ou mesmo relativos à sua posição conforme a cultura em que vive. Há culturas aparentemente mais flexíveis do ponto de vista social permitindo que alguém deixe de ser pobre e torne-se rico, e vice-versa, e há culturas onde quem nasce pobre tem o dever moral, socialmente construído, de manter-se pobre por toda a vida, portanto no mundo em que vivemos as possibilidades de herança tem sua regulamentação e não devem ser infringidas obedecendo a lei, mesmo que alguém mau-intencionado burle a legislação eventualmente.
 
Destacamos também que no mundo temos tanto direito à herança como podemos perde-la com facilidade. Porém quando aceitamos a Jesus como Salvador somos feitos herdeiros de Deus  jamais perderemos a Salvação, pois Deus é fiel para cumprir o que promete, é poderoso para garantir e justo no seu juízo. Há quantas histórias de milionários que empobreceram de repente? Muitas! Mas não há um só caso de alguém Salvo por Cristo ser condenado ao inferno.
 
Deus nos oferece a herança em Cristo gratuitamente, sem mérito nenhum de nossa parte, Ele apenas pede que aceitemos a fé em Jesus como Senhor e Salvador, pois se é um presente gratuito também não deve ser imposto a ninguém. Podemos aceitar ou recusar um presente que não vemos se recusamos, nos mantemos onde estamos por vontade própria, se aceitamos, o presenteador cumpre a sua promessa, pois seu "estoque" não é finito para Salvar, nós é que limitamos nosso destino eterno com escolhas perecíveis, consumíveis e passageiras.
 

Não podemos alcançar a Salvação seja por obras ou por merecimento. Só nos resta crer em Jesus e receber o que só Ele pode fazer por nós e caminhar para uma vida diferente junto com Jesus no céu.