29/08/2010

Esperando Respostas de Deus

Pedimos resposta ao Senhor por vários motivos particulares. Quando passamos por tribulações pensamos geralmente em nossas necessidades pessoais e até dizemos “se não posso resolver meus problemas também não posso resolver os dos outros”, com essa disposição elevamos orações a Deus que pode nos responder pela sua misericórdia, ou também negar nosso pedido ou fazer-nos esperar para que amadureçamos nosso sentimento quanto ao valor espiritual presente na tribulação que ainda não podemos ver nem entender. Diria até que na aparente falta de resposta de Deus é que um crente exercita sua fé e cresce na estatura da graça de Deus. Aí nossos pedidos tornam-se menos particulares, passamos a nos preocupar com o próximo e todas as variantes do problema.

Dificilmente pedimos uma resposta para que o Senhor seja conhecido por outras pessoas em momentos de tribulação, Elias passou por um momento assim quando desafiou 400 profetas de Baal numa invocação por resposta do Deus verdadeiro. A oração de Elias foi a seguinte: Responde-me, SENHOR, responde-me, para que este povo conheça que tu és o SENHOR Deus, e que tu fizeste voltar o seu coração (1Re 18.37). Notamos que a oração de Elias preocupava-se principalmente com a glorificação de Deus e não com a sua própria glorificação, ou notoriedade, como profeta. Infelizmente há muitos oram para a glorificação particular e não para a glorificação do Deus Vivo e Verdadeiro, há aqueles que ainda pensam orgulhosamente que Deus é obrigado a atender-lhes.

Quando pedimos respostas que levem outros ao conhecimento do Senhor, seremos muito mais abençoados do que pensamos. Isso não significa que não passaremos por dificuldades, talvez até aumente nossa adversidade, mas com certeza Deus nos abençoará no final de uma forma que será bem clara para aquele que crê mesmo que seja absurda para os incrédulos e pregadores do egoísmo. Elias obedeceu, recebeu a resposta que glorificava a Deus perante os profetas de Baal, porém logo depois teve medo da perseguição da perversa rainha Jezabel. A experiencia de Elias nos mostra que ao pedir que Deus seja glorificado não somos imunes a nossas próprias fragilidades, mas devemos confiar em Deus pois o poder dEle se aperfeiçoa em nossas fraquezas, tornando-nos mais conscientes da vontade e poder abençoador de Deus.

Entendemos portanto que não devemos ser egoístas em nossas orações mas que devemos valorizar acima de tudo a glorificação de Deus que é nosso objetivo como criação de Deus, pois mesmo que seja difícil a jornada e que a resposta a nossos problemas pessoais pareçam inviáveis, Deus está no controle e sabe melhor do que nós o que é melhor para a nossa vida.


Amazon: Ore Mientras Camina: Como Prepararse Para las Caminatas de Oracion = Follow Me (Comunion Con El Creador) (Spanish Edition)
La Oracion Cristiana: Privilegio y Responsabilidad (Spanish Edition)
107 Preguntas Que los Ninos Hacen Acerca de la Oracion = 107 Questions Children Ask about Prayer (Spanish Edition)