07/07/2010

Resumo Constante de Lógica

Foto por Mrs Logic's Photostream
Entendo que um pensamento lógico contribui muito para uma boa interpretação de qualquer texto, inclusive bíblicos. Estou estudando lógica por minha conta para aprender algo útil, já que não é uma matéria estudada diretamente no seminário, apenas tangencialmente em hermeneutica e até homilética. Durante meu estudo estou preparando um resumo que chamarei de Resumo Constante pois o texto será modificado conforme o estudo e aprendizagem. Gostaria que aqueles que conhecem melhor o assunto comentassem como ajuda, tendo em vista o lado mais filosófico da lógica e menos matemático pois é o mais útil, como disciplina auxiliar, para o estudo da Bíblia Sagrada. Segue abaixo o Resumo Constante que citei.

    A finalidade da Lógica é verificar de forma objetiva a correção dos raciocinios através da análise de um argumento que é formado por proposições com suas premissas e conclusões.
    Para facilitar a identificação dos argumentos deve-se observar os indicadores de premissa e de conclusão que não são leis apenas indicadores
    O raciocínio correto como resultado, é a especificidade da lógica, não importando a inferência, o raciocínio ou o pensamento em sua complexidade psiquica. Raciocinios são diferentes de perguntas, ordens ou exclamações, pois os raciocinios que nos interessam são os argumentos, isto é, a articulação de afirmações objetivas (referencias literais a objetos e acontecimentos, suas propriedades e relações) que se diferenciam das explicações, condicionais e outras afirmações subjetivas. O argumento defende uma verdade ao passo que outros tipos de afirmação não se comprometem com essa defesa.
    A Lógica não serve para criar raciocinios, pois os tais estão no campo abstrato da Linguagem.
    A Lógica estuda os métodos e princípios para distinguir – não gerar – raciocinios corretos.
    A Lógica distingue raciocinios corretos sem definir a verdade ou a falsidade dos mesmos.
    A Lógica somente constata a verdade ou falsidade do próprio argumento.
    A Lógica separa a verdade ou a falsidade do fato, do conceito de VALIDADE que é forma de articulação do argumento para demonstrar a verdade. Um argumento pode ser válido na forma, porém não verdadeiro.
    A forma da validade segue o conceito de que: É IMPOSSÍVEL QUE TODAS AS PREMISSAS DE UM ARGUMENTO SEJAM VERDADEIRAS E A CONCLUSÃO FALSA, um argumento que atenda estes requisitos é considerado SÓLIDO, embora a noção da falsidade também possa indicar a verdade.
    Os argumentos aparentemente corretos e válidos na forma, porém falsos são conhecidos como falácias – deve-se tomar cuidado com elas.
    Argumentos recebem afirmações mas uma afirmação não é um argumento.
    A Lógica prioriza o significado objetivo filtrando sua caracteristica de incerteza, subjetividade, complexidade, sutileza, multiplicidade e a mutabilidade, e também considerando os usos informativo, expressivo ou diretivo e o contexto da LINGUAGEM.,que se misturam. A Lógica esquematiza objetivamente os elementos lógicos de um argumento e suas proposições, porém sabendo que a linguagem não se restringe a técnicas mecânicas de interpretação, portanto não pode ignorar as nuances da linguagem na formação dos sentidos.
    Uma afirmação (asserção) sem articulação lógica, isolada, não é objeto de estudo da Lógica.