11/07/2010

Pena de morte para a família.

Foto por: Linda Bailey
Nosso Senhor Jesus Cristo afirmou que pais contra filhos e todo tipo de desagregação familiar seria a marca dos últimos dias. Falam muito de problemas e incoerências da igreja, como se os tais não tivessem a história de suas crenças ainda mais manchada de sangue, aliás falam assim para esconder o mal que viceja na humanidade e o qual a igreja, como corpo de Cristo, combateu e combate até hoje colaborando em muito com a estrutura social sob o ponto de vista do conceito de justiça. A justiça da igreja não é uma justiça sem Deus.

Nos espantamos com notícias que surgem nos jornais com tremendas violências e barbáries, pedimos pena de morte, pedimos penalidades mais rígidas, queremos que a justiça sirva para descarregar nossa ira contra os perversos, mas esquecemos de perceber que tudo isso é resultado da desagregação da família nuclear, que é um conceito judaico-cristão. Os anticristos e anti-semitas são contrários ao padrão familiar cristão, mas não contam que os acontecimentos atuais são resultado da degradação familiar propagada por tais pessoas.

Dignidade da criança e da mulher são valores cristãos, defendidos pelo próprio Jesus e pelo apóstolo Paulo. Violências contra crianças e mulheres eram o padrão das sociedades pagãs e, em alguns casos são até hoje. Mulheres e crianças romanos e indus, por exemplo, não tinham a mesma proteção que mulheres e crianças cristãs ou judias nos tempos antigos. Matar mulheres e crianças era normal para romanos, assim como sacrificar seus filhos aos crocodilos é prática entre indus. O cristianismo mudou essa visão de família e, com a reforma, o valor das mulheres e crianças ainda cresceu mais pois o mundo corrupto dos adultos cedeu lugar ao universo infantil onde não se considerava mais a criança como um adulto em miniatura, mas como um ser humano em desenvolvimento. Acabar com os valores cristãos de família nuclear e reacender as sandices de homens sem Deus. Porque fazem tantas maldades? Porque não valorizam a família como Cristo ensinou.

Pessoas do mal lutam contra os valores familiares cristãos, mas isso gera a volta da desagregação, dominação e maus tratos que sempre existiu e existirá em sociedades sem Deus. Não admitem que isso seja verdade e tentam fazer cartilhas de direitos dos filhos contra os pais, de pais contra filhos, de maridos contra esposas. Tais cartilhas e leis são inúteis sem a Palavra de Deus.

Queremos uma sociedade estruturada? Sigamos a Palavra de Deus, especialmente no que ela ensina sobre família, pois o tipo de família que desejam empurrar para nós já começou a mostrar seus resultados e devemos reagir antes que seja tarde demais.