29/05/2010

Atentado contra a felicidade



A mídia anuncia projeto de emenda constitucional que pretende instituir a Felicidade como direito garantido. Certamente uma lei NÃO garantirá a felicidade de alguém. Felicidade deve ser uma busca pessoal, pois o fato de buscá-la nos proporciona felicidade. Garantir o direito a felicidade na Constituição me dá algumas preocupações:

1. Qualquer um poderá ser levado a tribunal sob alegação de atentado a felicidade?
2. Garantir a felicidade é padronizá-la para satisfazer tal lei, logo, afrontar-se-ia a individualidade manipulando as pessoas para que sintam-se felizes, mesmo que não sejam de fato bem-aventuradas.

Deus respeita a busca individual pela felicidade, por isso não obriga ninguém a ser feliz, mas ensina como ser feliz. No sermão do monte Jesus cita as bem-aventuranças, isto é, as felicidades possíveis para o homem. Neste sermão o Senhor ensina que ser feliz não é um direito, mas uma doação constante servindo a Deus. No Salmo 1.1 o salmista nos diz que ser feliz é andar no caminho do Senhor, desviando-se dos caminhos ímpios e pecaminosos.

Ninguém pode ser feliz por decreto, mas somente por temor ao Deus verdadeiro.

Em época eleição tal proposta soa como engodo eleitoral, pois a possibilidade de ser manipulado em sentimentos com amparo da lei pode iludir a muitos e angariar votos inconscientes.

Só quem serve a Deus pode cantar mesmo em momentos de dor mais belos hinos de louvor como este:

“Se paz a mais doce eu puder desfrutar,
se dor a mais forte sofrer,
ó seja o que for tu me fazes saber
que feliz com Jesus sempre sou!”.

Este hino foi composto por Horatio G. Spafford um bem sucedido homem de negócios na Chicago de1860. Em 1871 um grande incêndio destruiu aquela cidade e ele trabalhou muito para reconstruir a cidade e ajudar os sem teto.

Dois anos depois planejava viajar com sua família para evangelizar na Europa, mas negócios de ultima hora fizeram com que mandasse toda sua família antes dele. Durante a viagem o navio naufragou salvando-se apenas sua esposa encontrada inconsciente.

Horatio imediatamente partiu para encontrar-se com sua esposa e, no caminho, o capitão do navio mostrou o lugar do acidente. Este homem, com o coração comovido, voltou para sua cabine e escreveu o hino que conhecemos como “Sou Feliz com Jesus”, pois sua felicidade na presença de Deus não era resumida por circunstâncias ou baseadas na lei humana, mas na obediência e submissão à vontade de Deus.

Nenhuma lei pode fazer o que só Deus pode fazer, pois nenhum homem pode legislar sobre aquilo que não compreende.

Sou Feliz com Jesus é o hino 329 do Hinário para o Culto Cristão. Ouça aqui este hino na versão coral em inglês.

Amazon

It Is Well With My Soul