21/04/2010

Jogar redes fora?


Recebi o recado da imagem acima no twitter. Não sei o que o autor pensava, ou sua intensão mas teçamos considerações sobre o assunto.

O texto bíblico citado é o seguinte: "Então eles, deixando logo as redes, seguiram-no". Numa interpretação supersimplória deste texto, seguir a Jesus é deixar as redes. Errado. Seguir a Jesus é assumir as redes de pescador de almas e não deixá-las nunca mais. Mesmo que as coisas pareçam difíceis.

Critico neste blog tanto exageros neopentecostais, quanto incoerências dos batistas. Se eu dissesse que os batistas são perfeitos estaria mentindo muito, e se não alertasse para os pecados, heresias e infantilidades também dos neopentecostais, seria igualmente mentiroso. A crítica que faço tem finalidade de reflexão sobre o viver cristão,  por isso nossas postagens não são anônimas.

Dentre os que abandonam as redes do reino de Deus estão os que geram cisão, os que preferem fazer do evangelho meio de enriquecimento (em qualquer denominação), os que se prendem ao exercício de poder sobre o outro sem querer ser verdadeiramente servos.

Quando Jesus convidou a deixar as redes do mundo e assumir as redes do reino de Deus não estabeleceu que podemos abandonar as redes de Cristo a nosso bel prazer. As coisas são difíceis entre batistas e outros cristãos mas, graças a Deus, tenho liberdade de opinar, enquanto outros sonham com isso, ou rebelam-se para impor opinião.

Um querido irmão da Igreja Batista em Icaraí que trabalhou no ramo da pesca me contou certa vez que uma coisa muito importante para o pescador é consertar as redes. Há pedras, lixo, corais e outras coisas metafóricamente cortantes para nossas redes espirituais enquanto fazemos a vontade de Deus. É importante que façamos como os bons pescadores que remendam suas redes para que trabalhem melhor, e não as descartemos por qualquer motivo.

Uma das experiências mais interessantes de que participei como pescador de almas foi, com um grupo de pastores, restaurar um relacionamento rompido pelas pedras no leito do mar das igrejas. Poderíamos simplesmente "disciplinar" como gostam de fazer alguns, mas ao restaurar a rede rompida houve mais crescimento do Reino de Deus.

Não abandone a rede do Reino de Deus com a desculpa de que seguir a Jesus é abdicar de redes. Na verdade a rede do Reino de Deus não é prisão, é ferramenta de resgate e precisa ser, constantemente, remendada em nossas vidas pois Deus não precisa de remendo. Lembre-se que ao abandonar as redes deixamos os peixes para trás, embolados em prisões - que nós criamos, não Deus - que levam ao ressecamento espiritual dos que ficaram para trás. Sejamos responsáveis com nossas redes.