17/02/2010

Igrejas e Espinhos

Ouça! >>
João 15:5 - Eu sou a videira, vós as varas; quem está em mim, e eu nele, esse dá muito fruto; porque sem mim nada podeis fazer

Todo ser humano tem seus espinhos. Sem Cristo somos como cardos, com espinhos até nas folhas, cheio de sementes secas e quase intragáveis. Com Cristo temos nossos espinhos, mas não são espinhos intragáveis. Somos como o maxixe que possui o corpo com espinhos bem visíveis, ou como o quiabo que os espinhos são quase invisíveis, mas que não impedem uma receita de bom cozido.

Cristo disse que devemos ser ramos ligados à videira. Nem sempre somos ramos de videira pois estamos em crescimento espiritual a cada dia. Muitas vezes espetamos uns aos outros. Mas não podemos ser como cardos que sufocam, com seus espinhos afiados, as plantas frutíferas ao redor.

Precisamos aparar nossos espinhos.
Os cardos estão por todo lado, sempre querendo crescer mais do que os ramos frutíferos da videira, reclamando que nossos frutos não são tão bons, mas somente produzem sementes sem nutrientes que espalham espinhos para todos os lados.

Quais são as sementes que deixamos crescer em nosso coração? Temos limpado nossos ramos para que produzam bons frutos? Estamos tão preocupados com frutos bonitos, porém intragáveis, que não produzimos frutos nutritivos com conteúdo útil?

Na igreja cada um tem seus espinhos e suas dificuldades, mas é necessário que nosso conteúdo ultrapasse a mera aparência e leve pessoas à Palavra de Deus. Claro que usarão nossos espinhos para afastar as pessoas de Deus, mas fazem isso porque são cardos sem substância, espiritualmente sufocadores.

Queremos seguir o exemplo de Cristo. Não queremos seguir o exemplo do mundo. Cresçamos a cada dia aperfeiçoando nossos frutos como bons agronomos, podando espinhos no momento certo para que os ramos possam crescer com vigor e frutificar.