25/01/2010

Proselitismo de Sabotagem

Ouça este texto em português |


Vivemos um período de grande proselitismo do pecado. Os proselitistas do pecado fazem-se de vítimas para justificarem-se perante a sociedade que desejam seduzir, como os fariseus tentavam justificar-se pelas obras zelosas de sua religião e foram chamados de “raça de víboras” por João Batista. Querem tentar fugir da ira vindoura, ou querem levar muitos outros com eles para a condenação?


Esse proselitismo do pecado tem se caracterizado pela sabotagem. Proibições veladas de veiculação de opinião pela cartilha do “politicamente correto”, imposição de valores pela manipulação da mídia patrocinada, zombaria com as coisas de Deus e com seus servos.


Sabem que muitos parlamentares sequer leem as leis em que votam, por isso há até leis que falam de pescaria, para exemplificar, em que entremeiam seus conceitos, principalmente de orientação sexual – humana, não dos peixes - contrários a moral cristã fazendo com que sejam votados inadvertidamente obrigando outras pessoas a cumprirem seus planos de maldade. Isso não é um proselitismo de sabotagem?


Como Cristãos fiéis somos contrários a qualquer proselitismo de sabotagem (excluo dos cristãos os falsos profetas da prosperidade). Pregamos declaradamente nossa opinião e não tentamos enganar ninguém para obrigá-los a seguir nossa orientação religiosa, mas estes proselitistas treinados para o terror e a guerrilha psicológica, fazem tudo para conseguir “direitos” que lhes permitam ampla cobertura e até mesmo a possibilidade de perseguição e execração pública de valores cristãos. Os fariseus crucificaram a Cristo, o que farão os adeptos da imoralidade? Quem eles crucificarão?


Não vamos fazer como estes fariseus modernos, mas continuemos pregando abertamente a Palavra de Deus sem medo de suas manipulações, sabotagens e terror guerrileiro subreptício que usam descaradamente.


Ninguém pode fugir do Juízo de Deus. Nenhum artifício humano será capaz disso, apenas levará outros para o mesmo inferno. Mas se reconhecermos nossos pecados, aceitarmos e confessarmos verdadeiramente a Jesus como Salvador, abandonando práticas contrárias à Palavra de Deus, seremos salvos. Não seja contado entre os fariseus e os sabotadores da moral, siga a Jesus e tenha certeza de que no dia do Juízo Ele nos absolverá.