30/01/2010

O Motorista de Deus

Ouça este texto em português |



Prossigo para o alvo, pelo prêmio da soberana vocação de Deus em Cristo Jesus. Filipenses 3:14

Quando meu sogro estava doente, já no final da vida terrena, o irmão Lélio da IBC Trindade, sempre o levava para as consultas médicas. Meu sogro não havia se convertido até então, apenas simpatizava com o Evangelho, mas posso dizer que um dos grandes pregadores que encontrou em sua vida não foi nenhum grande conferencista, ou presidente de grandes convenções, foi na verdade aquele irmão atencioso que Seu Mazinho – meu sogro – chamava de “motorista de Deus” pois via nele a boa vontade de leva-lo a todo tipo de consulta ou exame sem medir esforços graças ao amor que Deus colocara no coração do Irmão Lélio em fazer a vontade de Deus com o que sabia fazer sem nunca pedir retribuição.

No final meu sogro foi batizado por um grande evangelista, Pr. Fanini, mas tenho certeza que tanto a pregação do “motorista de Deus” quanto a do Pastor, tiveram grande importância em sua conversão.

Quero pensar no que temos feito para levar o evangelho de Cristo. Achamos que não podemos fazer grandes coisas, que somos simples demais e que só “grandes homens mais capacitados” podem pregar o Evangelho. Este pensamento é enganoso, pois pregar o Evangelho não é simplesmente dominar as técnicas de hermeneutica, homilética e oratória, talvez você não saiba nem o que são essas coisas mas tenha certeza de que isso não é o mais importante.

O importante para pregar o Evangelho é querer a Salvação do outro respeitando seu livre arbítrio, ensinando a Palavra de Deus com nosso convívio e amor fraterno no dia a dia, sabendo que o outro é livre para recusar a Salvação, mas que nós, como bons e fiéis servos de Deus não podemos permitir que ninguém se perca por não ter ouvido falar do amor de Deus.

Você pode não ser um conferencista mundialmente famoso, talvez não seja famoso nem no seu bairro, mas a exemplo de nosso “motorista de Deus”, você pode ser um gari de Deus, um advogado de Deus, um pedreiro de Deus, um professor de Deus, uma faxineira de Deus, um médico de Deus, uma dona de casa de Deus, e muitas outras coisas mais para o louvor de Deus e anuncio de sua Palavra.

E aí? Temos falado do amor de Deus à humanidade ou deixamos isso para os “mais inteligentes e capazes”, ou pior ainda “aos mais ungidos”, num comodismo espiritual preguiçoso? Peçamos a Deus forças para vencer toda preguiça espiritual e avançemos para o prêmio da suprema vocação em Cristo Jesus levando outros conosco para a vida Eterna.