14/01/2010

Maçonaria, porque não?

Maçonaria, porque não?


Há cristãos encantando-se com a maçonaria desde muito tempo. Maçons via de regra exercem poder politico e financeiro em certas igrejas batistas; sob argumento de filantropia se incluem nas igrejas e envolvem-se subrepticiamente em grandes movimentos de dominação dentro das igrejas em prejuizo espiritual de toda igreja.


Vamos argumentar sobre alguns motivos pelos quais um crente não deve ser maçon baseado no artigo da wikipedia sobre o assunto, pois entendemos que falar do que é oculto sempre ficará na subjetividade e no disse-não-disse.


Quanto a virtudes da maçonaria não entraremos em discussão pois qualquer instituição minimamente decente tem virtudes a serem ressaltadas. O que nos interessa é a coerencia com o culto cristão pois virtudes são obrigatóriamente necessárias a qualquer instituição, a falta delas é que seria de estranhar.


A maçonaria é uma instituição iniciática. Você precisa ser indicado e passar por rituais que lhe atribuam acesso a grupos e segredos. Na iniciação entende-se que o iniciado passou de um nível de conhecimento ou existência inferior para um outro superior. No cristianismo não há iniciação, pois ao contrário do que muitos pensam, o batismo, para os batistas, é confissão pública da fé em Jesus sem dar acesso a nenhum segredo ou grupo especial. Embora seja usado como prerrogativa para participar da membresia eclesiástica todos podem participar de praticamente qualquer atividade na igreja sem nenhum segredo sem nenhuma iniciação. O que as igrejas batistas visam com o batismo não é a iniciação mas a manifestação pública de compromisso com o grupo, mostrando-se aí mais uma diferença entre os cultos iniciáticos que fazem tal compromisso de forma particular e restritiva. Vejamos o exemplo de Jesus quanto aos atos religiosos, ou mesmo iniciáticos, ocultos:


João 18:20 Jesus lhe respondeu: Eu falei abertamente ao mundo; eu sempre ensinei na sinagoga e no templo, onde os judeus sempre se ajuntam, e nada disse em oculto.


Se Jesus falou abertamente, mesmo que às vezes por parábolas, porque participar de grupos iniciáticos de segredos ocultos? A participação de tais grupos é contrária à própria característica de publicidade de ser um cristão. Não se pode ser cristão ou qualquer outra coisa, em oculto, portanto não se pode participar de nenhuma sociedade secreta mesmo que o oculto venha a revelar-se.


Os ritos de Iniciação como o Rito Escocês fazem parte de outras sociedades secretas como os Rosa-Cruz, Iluminatti e possivelmente os templários. O rosacrucianismo é ocultista, o que já seria um bom motivo para não imita-los em seus ritos, mas quero que você perceba que o Cristianismo não é uma religião de rituais. O Cristianismo verdadeiramente bíblico volta-se para o estudo e meditação consciente da Bíblia Sagrada, Ceia e Batismo não são ritos. Batismo já expliquei, mas Ceia é um momento de reflexão no que Jesus fez por nós na cruz, não concedendo graça nenhuma nem introduzindo ninguém em qualquer nível espiritual, tanto que entre os batista não se oferece ceia sequer a moribundos para que não atrelem seu conceito a um ritual espiritualista. Batismo e Ceia, para os batistas, são ordenanças que Jesus nos deixou que devem ser feitas somente se conscientemente desejarmos em honra a Ele, não são sacramentos como para os católicos por exemplo. Ceia e Batismo não são necessários à Salvação. O ladrão na cruz não foi batizado nem participou da ceia e ainda assim foi salvo.


Portanto, um batista que se submente a um rito contraria sua própria fé que basea-se na consciencia e não em poderes ou licenças, concedidos por rituais. Jesus nos diz ainda que não devemos levar outro jugo que não seja o dele. Quando nos submetemos a ritos estranhos estamos sob outro jugo.


Nas reuniões maçonicas chama-se a Deus de “grande arquiteto do universo”, sem distingui-lo como o Deus único e verdadeiro, colocando-se no altar a Bíblia Sagrada em igualdade com outros livros sagrados de diferentes religiões. Para um batista, ou qualquer cristão, isto é prostitiuir-se perante outros deuses, fato claramente condenado por profetas do Antigo Testamento.


Concluindo, um cristão não deve ser maçon porque:
  • Estará envolvendo-se em rituais de iniciação e admitindo que seu estado anterior, como cristão, era inferior ao contraído na maçonaria.
  • Estará se submetendo ao ocultismo que é condenado pela Bíblia.
  • Estará em jugo desigual com incrédulos tendo que compactuar com mesmos ritos.

Muitos “batistas importantes” foram e são maçons. Isto envergonha a uma igreja cristã. Seja maçonaria ou qualquer ordem de mesmas caracteristicas são impróprias para um cristão fiel às Escrituras. Parece haver propaganda para divulgação maçonica orquestrada mundialmente especialmente com o livro de Dan Brown. Tomemos cuidado para não ser seduzidos por muitos efeitos especiais, ou de literatura industrializada, que escondem a ausência de Deus.


Fonte: