05/01/2010

Igrejas com Propósitos Estranhos

Hoje é muito fácil ser crente. Virou moda, um produto de consumo que alguns falsos pastores exploram com toda astúcia do inferno. Crente hoje, bebe, fuma, adultera, prevarica, andam com roupas que não convém, acham certo deixar de ir à igreja para se divertir no dia do Senhor, preferem reuniões badaladas do que ajuntamentos para estudo bíblico e oração, não buscam a santidade e ameaçam com repreensão quem defende valores cristãos opostos à carnalidade para a qual apostataram. Dizem que Deus só quer o coração, que o resto não é importante, é secundário. Filosofia de Novela! Leiamos a Bíblia:

Sobre tudo o que se deve guardar, guarda o teu coração, porque dele procedem as fontes da vida. Provérbios 4:23

Deus nos orienta a guardar nosso coração. O contexto aqui não é o emocionalista de novelas e canticos neopentecostais, pois para o judeu o coração era muito mais do que emoção ou sentimento romântico fabricado por uma corrente literária ultrapassada e pregado nos púlpítos das igrejas. Os judeus tinham no coração o centros das decisões e pensamentos da vida que estavam atrelados às emoções uma coisa não se desvinculava da outra. Guardar o coração para Deus é guardar-se por inteiro e não só naquilo que interessa à nossa carnalidade. O Salmista Davi preferia estar um dia na casa de Deus do que mil em outro lugar, mas temos preferido reuniões sociais que nos afastam da casa de Deus, sob desculpa meramente numérica, tanto que depois dessas reuniões nem queremos ir mais à igreja pois achamos que isto basta. É a operação do erro, o princípio da apostasia. O que temos feito com nossas igrejas? Estamos transformando-as em clubes onde o foco é a sociabilidade com afastamento de Deus?

Talvez alguns achem essas palavras duras, mas veja o que Provérbios diz para aqueles que seguem “Os Caminhos do Coração”, aliás uma novela horrível:

Provérbios 5.12 E então digas: Como odiei a correção! e o meu coração desprezou a repreensão! 13 E não escutei a voz dos que me ensinavam, nem aos meus mestres inclinei o meu ouvido! 14 No meio da congregação e da assembléia foi que eu me achei em quase todo o mal.

Note que o personagem encontrou todo mal no meio da congregação, da igreja. Quando o mal estiver onde não deve estar aí chegará o fim. O Diabo tem sutilmente feito seu trono nas igrejas e atacado os corações carnais e voluntariosos de crentes periféricos. Onde está o teu coração?