02/12/2009

Desobediência Cristã

Meu professor no seminário, o Pr. Delcyr de Souza Lima fez aniversário esta semana. Toda a igreja o cumprimentou, felicitando pelos anos de serviço valoroso a Deus. Ao cumprimentá-lo, brinquei dizendo que fui um de seus alunos mais rebeldes, sendo até impertinente em algumas perguntas teológicas. Ele riu e disse com sabedoria “Eu também ensinei vocês a serem meio rebeldes”. Rebeldes sim, mas submissos à Palavra de Deus. O grande legado do Pr Delcyr para mais de uma geração de seminaristas e bacharéis é o incentivo à visão crítica das coisas, sem submeter-se a vontades despóticas e mundanas. Existe aquilo que alguns chamam de “Desobediência Civil” que não é minha praia, mas aprendi com este professor sábio a “Desobediência Cristã” às imposições e seduções de Satanás. Infelizmente nem todos tiveram essa escola. É uma pena.

Essa “Desobediência Cristã” às seduções não faz sentido para o homem carnal. Quando um não cristão ouve dois cristãos discutindo e discordando sobre assuntos teológicos, logo dizem: “Estes cristãos! Não se entendem nem entre eles mesmos!” - só que estas pessoas não sabem o verdadeiro significado de entender o outro. Para eles entender o outro é calar-se, concordar com tudo, fazer uma boa política que no final acaba em pizza. Na verdade, no pecado, ninguém entende ninguém. Sabe por quê?

Porque para entender o outro é necessário se envolver espiritual e conscientemente com aquilo que é mais importante para ele, não se pode fazer isso em relações banais e superficiais onde se ri de tudo e se concorda com tudo de forma padronizada. Existem diferentes igrejas pois existem diferentes consciências, quem deseja padronizar não respeita a consciência alheia. Tais pessoas não conseguem suportar um debate sobre assuntos da consciência de tão bitoladas que estão pelos seus padrões de vida industrializados pelo Diabo. Na verdade são os mundanos que não se entendem pois fogem de qualquer discussão mais profunda e consciente, seus relacionamentos não alcançam o espírito mas somente a superfície tátil da pele entregando-se a paixões e amortecendo a consciência sobre o que Deus quer para suas vidas.

Esse tipo de pessoa superficial tem coragem de chamar os cristãos de bitolados! Os cristãos verdadeiros podem ser pecadores como todos, porém redimidos por Cristo, mas não estão encarcerados nas medidas antropométricas e anoréxicas do mundo. O verdadeiro Cristão tem a Jesus por padrão e alimenta-se espiritualmente discordando, concordando, indo à frente, voltando atrás em suas opiniões mas mantendo a fidelidade às escrituras.

Nesse mundo de restrição precisamos de pessoas que incitem a discussão fértil e sábia. Não precisamos da unanimidade patrocinada pelos servos do Diabo, mas daquela “Desobediência Cristã” que ensinou o mestre teólogo. Deus tenha misericórdia dessa massa emburrecida que não discute com respeito para não mostrar sua própria ignorância.