26/11/2009

Vestibular e fé


Muita gente adora títulos. Enchem a boca dizendo "sou formado em várias matérias", "tenho tantos diplomas", embora nem mesmo demonstrem competência equivalente a sua gabação. Muita "ciência" foi concebida com base em argumentos falsos que renderam títulos a seus defensores, e que mesmo posteriormente tendo-se provado seu absurdo, valeram pela conveniência a pessoas sem ética e moral.

Escrevo pensando nos jovens que ouvem tanta coisa de "pessoas importantes" e se impressionam com o que ouvem dos "mestres" que, na verdade, são doutrinadores. Temos algumas "Doutrinas Ciêntíficas" que não provam mas que dizem ser ciêntificas, o Evolucionismo é uma dessas doutrinas da Religião Ciêntifíca, os conceitos filosóficos de moral relativista também são uma doutrina pregada nos templos universitários do humanismo. Num lugar desse um jovem cristão se vê em desafios, pois se expor sua idéia será ridicularizado e por não poder expor com o mínimo de respeito cala-se e acaba até assumindo alguns conceitos mundanos.

Fiz faculdade pública de arte por algum período pensando que encontraria pessoas talentosas que compartilhariam seu conhecimento artistico, mas o que encontrei foi um centro de produção de loucura carnal. Aqueles que não queriam deixar a universidade por julgar importante para o currículo, mas que tinham uma idéia de arte diferente da instituição, foram tão constrangidos que tiveram que mudar seus valores para não cair no ostracismo profissional.

"Eclesiastes 12:12 E, demais disto, filho meu, atenta: não há limite para fazer livros, e o muito estudar é enfado da carne." O estudante cristão deve ter esse versículo em mente, pois como não há limite para escrever livros, não há limite para se falar bobagem, ao contrário, as coisas que realmente são sérias e importam tem seus limites. Nesse período de vestibular muitos jovens estão escolhendo carreiras, realizando provas, estudando muito, mas é importante que não nos deixemos tragar pela máquina corporativa do mundo e façamos diferença onde estivermos como Corpo de Cristo, mesmo que falem mal de nós e até difamem nosso testemunho, pois somos bem-aventurados quando maltratados, xingados, humilhados e perseguidos por amor ao evangelho.