02/11/2009

Pregação Fórmula 1


Quem já assistiu a corrida de fórmula 1 na TV deve ter reparado: mostram tudo, menos a corrida. Mostram o capacete do piloto, o interior do carro, o retrovisor do carro, o box, o asfalto, a roda do carro, o aerofólio do carro, principalmente os logotipos dos patrocinadores, mas não mostram a corrida direito. Talvez se deva isso a circuitos muito irregulares, mas não precisa exagerar. Mas há quem goste, e muito, disso.

É comum também vermos pregações parecidas com as transmissões de Fórmula 1. Dão pulinhos, gritam alto, correm de um lado para outro, incitam o povo com palavras de ordem, mostram com as câmeras as meninas mais bonitas da igreja, anunciam seu CD e DVD, etc. Só que falam muito pouco da palavra de Deus. São parecidas com um produto de marketing como a fórmula 1, a Bíblia Sagrada é só um detalhe focalizado de longe na pregação.

Por tanto ide e ensinai a todos os povos, batizando-os em no Pai, do Filho, e do Espírito Santo: Ensinando-os a guardar todas as coisas que vos tenho mandado: e eis que estou convosco todos os dias até a consumação dos séculos. - Mateus 20.18-19

Pelo versículo acima vemos que Jesus não mandou pregar um evangelho impressionante. Ele mandou fazer algo simples que é ensinar sua Palavra. O que deve ser impressionante é a transformação que a Palavra faz nas vidas das pessoas. Se nos atermos a detalhes da Bíblia, ótimo! Se reforçamos mais a aparência do que o conteúdo vamos mal em nossa pregação. Ninguém precisa querer ser conhecido como “o profeta de Deus”, “cantor mais ungido”, “maior conferencista”, “maior pregador” ou “maior evangelista”, ou “o pastor da maior igreja”, se vamos ser conhecidos que seja pelo compromisso com o ensino da Palavra de Deus mesmo que você, acessoriamente, seja tudo mais.

Lembre-se de Davi que ao descansar enquanto seus soldados lutavam, adulterou e sofreu as conseqüências de seu pecado. Não devemos descansar na investigação da Palavra, encobrindo nosso pouco zelo com aparência ilusória de conteúdo cristão, que façamos mais do que a fórmula 1, pois as coisas espirituais devem ser mais do que mera produção de eventos.