20/11/2009

Educação não é proselitismo ideológico.

Usa-se o termo Educação como se tivesse algo de especial, como se apenas o fato de estar educando fosse o suficiente. Chegam mesmo a desprezar o conteúdo como se a Educação sobrevivesse sem o mesmo.

A Wikipédia define a educação, eis um trecho de sua definição: “Educação engloba os processos de ensinar e aprender. É um fenômeno observado em qualquer sociedade e nos grupos constitutivos destas, responsável pela sua manutenção e perpetuação a partir da transposição, às gerações que se seguem, dos modos culturais de ser, estar e agir necessários à convivência e ao ajustamento de um membro no seu grupo ou sociedade.” fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Educa%C3%A7%C3%A3o

Nota-se pela definição que a Educação tem fator social importante, mas devemos considerar se todos os comportamentos sociais aceitos ou que pretendem ser incutidos em uma sociedade são realmente éticos e morais. Defender algo que não seja ético e moral, ou que seja apenas referente a um grupo limitado de militantes, escondendo-se atrás da capa da “educação” é na verdade manipulação ideológica, muito semelhante à usada pelos nazistas para preparar o povo alemão para a Segunda Grande Guerra.

Educação para os que a manipulam, é apenas um processo de ensino e aprendizagem visto de forma técnica e mercadológica, sem levar em consideração valores que realmente interessam a todos mas apenas buscando domínio sobre a sociedade impondo seu ponto de vista, inclusive fazendo pressão para inclui-los nas LDBs e PCNs da vida.


Educação não deve ser desculpa para ações mercadológicas, de massa, ou não. Educação é conscientização pela vontade individual e não por insinuações midiáticas ou imposições legais, mas no Brasil o último caminho tem sido preferido. Jesus nos mandou pregar e ensinar sua palavra, para que as pessoas aceitem de expontânea vontade. “Como escaparemos nós, se não atentarmos para uma tão grande salvação, a qual, começando a ser anunciada pelo Senhor, foi-nos depois confirmada pelos que a ouviram”, é o que nos diz Hebreus 2:3. Mas ensinar para a Salvação é tido como reacionário pelos novos ditadores de comportamento da ditadura civilmente velada atual. Hoje não prendem e torturam terroristas, mas fazem pressão social, psicológica, e juridica para que você aceite o que chamam de "educação". A Educação verdadeira não te empurra sutilmente para uma conclusão, mas permite que você tire as suas com total liberdade de discordar sem ser punido. Será que podemos discordar de tudo sem punição? Será que o mundanismo não está impondo suas leis e procedimentos que colocam a Igreja como vilã de todas as histórias? Porque será que nas faculdades é mais comum se ouvir debates acalorados sobre poucos e, em certos casos, ultrapassados "defeitos" da igreja do que sobre os benefícios que o cristianismo trouxe à sociedade? Será que professores universitários formam uma classe tão seleta onde cristãos não fazem parte, seja por sua "ignorância" ou omissão?

Como cristãos devemos deixar a mera luta política que leva à corrupção de lado e nos dedicar profissional e pessoalmente ao ensino de todas as matérias com respeito e reverência a Deus, e não deixar este lugar para pessoas que debocham da Palavra, ou mesmo que apenas fazem dela um meio de enriquecimento. O que fazemos como cristãos? Estamos deixando que mundanos façam proselitos sem trazer equilíbrio à discussão. É melhor mudar isso.