25/08/2009

Perto de Deus

Eph 2:11 -13 Portanto, lembrai-vos que outrora vós, gentios na carne, chamam circuncisão, feita pela mão dos homens, estáveis naquele tempo sem Cristo, separados da comunidade de Israel, e estranhos aos pactos da promessa, não tendo esperança, e sem Deus no mundo. Mas agora, em Cristo Jesus, vós, que antes estáveis longe, já pelo sangue de Cristo chegastes perto.

Quantas vezes lembramos do tempo em que éramos “gentios na carne”, sem Deus, buscando a autojustificação inútil, até mesmo tendo os cristãos como alvos favoritos de nossa comparação mundana e hipócrita que buscava nos servos de Deus a hipocrisia que estava em nós? Se lembramos com saudade ou tristeza, devemos buscar uma maior comunhão com Deus e rever nossa vida cristã. Paulo nos alerta que antes separados de Deus por nossos pecados, e do povo de Israel, por mero ato cirurgico da circuncisão que tem sentido para Israel como aliança particular com Deus, mas não para todos os povos pois o domínio de Cristo não está restrito a fronteiras geográficas, raciais, ou sociais ele ultrapassa as fronteiras do coração e as fronteiras que o pecado impõe a humanidade para que não se aproxime de Deus.
Pelo sacrificio de Jesus somos povo de Deus, com esperança e com herança dada por Deus. Como ter saudade do tempo em que estávamos cercados pelo mal? Como podemos estar perto de Deus e olhar para longe dele?
Se lembramos do tempo sem Deus, deve ser para agradecer a grande Salvação que Jesus nos proporcionou. Infelizmente entre a igreja há os que sentem saudades do mundo. Que esse saudosismo pecaminoso, onde lembranças musicais, ou de momentos de vigor e prazer não nos seduza, pois maior é o que está em nós do que o que está no mundo. Sejamos gratos a Cristo e não amantes do mundo.