31/07/2009

Medida de Testemunho

Pensamos que tendo uma vida santa nosso testemunho cristão não será contestado. Ficamos preocupados com o que o vizinho, ou amigos falam de nós pois pensamos ser eles o termometro de nosso testemunho. Vizinhos, amigos, colegas ou familiares não são termometro para o testemunho de ninguém. Termometro é um medidor, por isso mesmo segue um padrão, ora, se nosso padrão é Cristo porque devemos ser medidos pelo mundo? Já ouvi de um irmão que tinha visitado um cliente vizinho de outro irmão de sua igreja que falara horrores de tal irmão. A atitude do relator do fato foi passar adiante, mesmo sem dizer o nome da figura. Não seria mais cristão se ele procurasse o irmão acusado, conversasse sobre as acusações e se propusesse a ajudar a corrigi-las, caso as acusações fossem embasadas. Note que digo: caso as acusações fossem embasadas, pois as pessoas do mundo geralmente embasam suas acusações em interpretações preconceituosas baseadas no fato de sermos cristãos, seus motivos, em geral, se analisados com cuidado, não passam de mexericos e intrigas. É muito comum sermos mal interpretados e condenados por causa de Cristo. Parece que o ser humano gosta de saber que o outro é pior ou igual a ele, especialmente em seus pecados. Isto é uma tentativa de tornar o próximo substituto de seus próprios erros, é uma tentativa de fugir da sua responsabilidade de aceitar que Cristo morreu para substituir a todos nós na cruz. Quantas vezes não conseguiram encontrar motivos contra você e apelaram para ridicularizar sua fé? Creio que muitas vezes. Isso é comum, é demonstração clara do afastamento entre o acusador e Deus. Não devemos nos render a suas avaliações mas buscar saber que tipo de avaliação deus faria de nós, com base nas escrituras, mesmo que pessoas mal intencionadas distorçam nossas palavras e ações. Em 1Pe 4:14 está escrito: “Se pelo nome de Cristo sois vituperados, bem-aventurados sois, porque sobre vós repousa o Espírito da glória, o Espírito de Deus”. Ser bem aventurado por ser humilhado e pisado não é o padrão do mundo, que deseja glorias pessoais escondendo-se sob títulos e bajulações, mas é uma alegria para o cristão que descobre estar fazendo a vontade de Deus quando submete seus atos a avaliação de Cristo e não à avaliação do mundo. Mas a avaliação é um processo dinâmico e intrincado, devendo-se levar em conta os diferentes contextos envolvidos, por isso em 1Pe 4:15 nos é dito “Que nenhum de vós, entretanto, padeça como homicida, ou ladrão, ou malfeitor, ou como quem se entremete em negócios alheios”. A avaliação das pessoas as vezes condiz, embora o próprio Cristo tenha sido crucificado entre malfeitores no tipo de morte mais vergonhoso que uma pessoa poderia passar em sua época. Mas note que enquanto os que o crucificavam zombavam dele, um dos ladrões reconheceu sua justiça e pediu para estar com ele no paraiso sendo atendido imediatamente pelo Senhor. Pedro nos diz que não podemos padecer como notóriamente culpados, mas isso não se aplica a encenações de novela mexicana, cheias de intriga e maldade onde se busca incriminar alguém. Vale aqui uma explicação quanto aos termos do texto bíblico. Homicida, ladrão, malfeitor, são termos claros mas “quem se entremete em negócios alheios” não é sinonimo de fofoqueiro ou intrometido, refere-se antes a pessoas que não respeitavam os costumes, leis e culturas de povos em que se inseriam provocando grande afronta e comoção pública. Mas não se confunda, pois um cristão pode gerar grande comoção ao falar a verdade dentro de um grupo acostumado a mentiras e manipulações contrárias à propria legislação, costumes e moral estabelecidas, por isso Pedro continua dizendo em 4:16: “ mas, se padece como cristão, não se envergonhe, antes glorifique a Deus neste nome”. Concluimos que quase todas as interpretações do mundo, de alguma forma são tendenciosamente contrárias ao cristão por isso não devemos valoriza-la mais do que a avaliação divina embora não a devamos ignorar, pois aprendemos até com avaliações tendenciosas, preconceituosas, e mesmo total e vilmente construidas, pois se as superamos agradamos ainda mais ao nosso Senhor. O Texto de 1 Pedro é reforçado pelas palavras de Jesus em Mateus 5.11-12:
“Bem-aventurados sois vós, quando vos injuriarem e perseguiram e, mentindo, disserem todo mal contra vós por minha causa. Alegrai-vos e exultai, porque é grande o vosso galardão nos céus; porque assim perseguiram aos profetas que foram antes de vós”.