06/04/2009

Reflexão sobre Liderança

Em minha igreja a Sociedade Feminina que, como sempre, realiza eventos de qualidade, ofereceu um curso de treinamento para Liderança. Participei desse encontro e uma irmã muito prezada pediu esboço do conteúdo. Dedico então esta postagem à irmã Marli e às irmãs da Sociedade Feminina Missionária bem como à presidente irmã Sonia, que pode-se dizer que é uma organização das mais atuantes. Nota: o bibliografia utilizada é "Princípios de Liderança" da autora Nanci Dusilec publicada pela União Feminina Missionária. Ela usa com freqüência o termo líder, liderados, gerente, mas se substituirmos por servo, conservos, mordomo, veremos que não há muita impropriedade. Usarei o termo Servo por julgar mais apropriado do que líder. I- O Perfil Pessoal do Servo Cristão 1. O Perfil Pessoal do Servo Cristão é de canal de bênçãos para seus conservos pois ele pauta suas ações no AMOR ao próximo e a si mesmo. a. Por pautar-se no amor não se deixa cegar pelo ódio e inveja contra o próximo pois sabe reconhecer no outro suas próprias fraquezas, suporta-las em amor e produzir bons frutos 1Jn 2:9 Aquele que diz estar na luz, e odeia a seu irmão, até agora está nas trevas. 1Jn 2:10 Aquele que ama a seu irmão permanece na luz, e nele não há tropeço. 1Jn 2:11 Mas aquele que odeia a seu irmão está nas trevas, e anda nas trevas, e não sabe para onde vai; porque as trevas lhe cegaram os olhos. b. Por pautar-se no amor não se deixa cegar pelo perfeccionismo. Fazer as coisas bem feitas é ótimo, mas não podemos esperar que as pessoas façam as coisas exatamente como esperamos pois cada um tem o seu jeito e Deus age nessa diversidade. Quem serve com amor “tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta” 1Co 13:7 . Ao servirmos com amor compreendemos o próximo e somos um canal para seu crescimento como servo. 2. O Perfil Pessoal do Servo Cristão é de alguém que equilibra e guia os irmão com amor. Para isso ele precisa ter algumas qualidades: a. O servo Cristão amoroso precisa ser Pacificador. Não podemos valorizar o conflito, mas podemos adiministrar o conflito para que seja transformado em crescimento espiritual e comunhão através de uma mediação para acalmar os ânimos no momento certo (bombeiro) mas também num trabalho posterior para restaurar a Paz entre os irmãos que às vezes requer mais tempo e aí o Pacificador se confunde com o cuidador que veremos abaixo. Mateus 5.9 b. O servo Cristão amoroso precisa ser Cuidador. A principal ação que devemos ter entre os irmãos como corpo de cristo é cuidar uns dos outros (enfermeira). Muitas vezes somos feridos por pessoas de fora, pelo mundo, ou mesmo entre nós é necessário, portanto que tenhamos disposição de cuidar uns dos outros para que todo o corpo possa vencer as dificuldades e crescer com saúde espiritual. I Coríntios 12.25 c. O servo Cristão amoroso precisa ser Encorajador. O desânimo é comum na vida de qualquer pessoa o que faz a diferença é como lidamos com ele, ou deixamos nos abater ou seguimos em frente. O Servo que guia conservos deve estar atento a essa possibilidade e buscar encorajar, animar, colocar pra frente, aqueles que são parte do corpo de Cristo. Quando imobilizamos um membro de nosso corpo (como um braço quebrado, por exemplo) por estar machucado, ele pode definhar e perder forças desequilibrando o corpo e tornando difíceis ações que precisamos fazer. Neste momento é necessário que os outros membros dêem suporte a este membro mais fraco encorajando-o para que se exercite no serviço e ganhe forças novamente. II Cr 17.6; João 16.33 d. O servo Cristão amoroso precisa ser Mestre. Antes de ensinar precisamos ter disposição de aprender constantemente. Aprendemos durante a vida toda e não somente em alguns momentos. Quando julgamos que sabemos tudo não podemos mais ser mestres e reconhecendo isso, precisamos voltar a aprender para poder voltar a ensinar. O Mestre é o mais julgado onde exerce seu serviço, principalmente pelos de fora os não cristãos, e até mesmo por outros cristãos. Tiago 3.1-2 e. O servo Cristão amoroso precisa ser Guia na Coleta. Os índios brasileiros tinham uma pequena roça para subsistência, mas centravam sua alimentação em recolher ou coletar frutos da própria floresta. Provavelmente os mais velhos e experiente orientavam os jovens quanto ao que se podia e ao que não se podia comer passando o conhecimento. Entre os animais, dizem os cientistas, as abelhas se comunicam (da sua forma) quando uma encontra um local abundante de flores. Assim deve ser o líder cristão: um guia no processo de coleta do alimento espiritual, isto é, cada um deve colher por si, aprender a colher, mas o servo mais experiente deve orientar para que não se escolha um alimento estragado ou venenoso. Veja quanta responsabilidade! Há muitas pessoas indo para falsas igreja porque colheram um alimento espiritual estragado, falso, venenoso. Como servos que guiam outros servos precisamos mostrar onde encontrar o alimento verdadeiro e alertar sobre o que não alimenta, antes adoece espiritualmente. João 21.17 Eis aí o esboço ampliado da minha fala. Desejo que seja útil a outras pessoas. Um grande abraço à irmã Marli e a todas as irmãs da Sociedade Feminina da Igreja Batista Central em Trindade, especialmente sua presidente a irmã Sônia. Deus as abençoe!