24/04/2009

Podemos questionar Deus?

2Ti 3:16 Toda Escritura é divinamente inspirada e proveitosa para ensinar, para repreender, para corrigir, para instruir em justiça;
Uma coisa sempre me espantou em alguns crentes: o seu sincretismo. É isso mesmo, muitos de nossos irmãos, se é que podem ser considerados assim, frequentam sem distinção, a pajelança neopentecostal e mesmo cultos idolátricos em busca de bênçãos materiais. Houve caso que uma pessoa muito envolvida com o trabalho da igreja local, disse ter ido ao feiticeiro mas com medo de encontrar pessoas da igreja no caminho e ficou adimirada com a quantidade de "irmãos" que encontrou no mesmo lugar, buscando a mesma orientação. Essa pessoa disse que ali "sentiu-se em casa". Não se espante que tal prática cresce cada vez mais, afinal, nem todo que diz "Senhor, Senhor" participará das bodas do cordeiro. É necessário viver os ensinos da Bíblia e não somente seguir cartilhas religiosas. Algumas igrejas infelizmente tem contribuido para tal apostasia ao criar cartilhas de coisas discutíveis e indiscutíveis na Bíblia, na verdade tudo que incomoda ou que gera alguma dificuldade para grupos dominantes é considerado indiscutível. Usam a frase "Não podemos esquadrinhar Deus" como desculpa para tal, como se estudar mais profundamente a Palavra de Deus fosse "esquadrinhar" Deus (2 Coríntios 2.16) . Realmente não podemos questionar a Deus pois Ele está acima de nós, mas podemos questionar sobre o que Ele nos revelou na sua Palavra com a intenção de aprender mais. A própria pedagogia do Senhor Jesus era baseada em perguntas, às vezes desconcertantes, mas que moviam o espírito de seus interlocutores para posicionar-se perante a verdade ou contra a verdade do Cordeiro de Deus. Não podemos confundir doutrinas e assuntos bíblicos revelados com os não revelados e nos recusarmos a discutir tudo que incomoda, pois essa ação leva ao desconhecimento da Palavra e a busca pelo sincretismo religioso que é a própria apostasia. Por sinal, note que os apóstatas não questionam nada publicamente para não serem repreendidos e "ficar numa boa", só o servo de Deus verdadeiro assume suas dúvidas e questionamentos entre os irmãos, sem medo, mesmo que possa a princípio parecer contraditório. Quem se acomoda em não questionar mesmo tendo dúvida é um grande candidato a apóstata. Baseio meu pensamento de livre discussão das Escrituras em Princípio Batista, e da maioria dos Evangélicos, que tem sido esquecido pelos que buscam primazia. Usaremos o versículo 16 do capítulo 3 da Segunda Carta de Paulo a Timóteo, para explicar essa idéia. Que toda Escritura é Divinamente inspirada, alguns não discutem, embora haja falsos mestres que já coloquem isso em dúvida mesmo em Seminários Batistas, que adotam uma corrente liberal e perniciosa de teologia. Este, em si, é assunto para outro artigo, vamos assumir com fé qua a Bíblia É a Palavra de Deus divinamente inspirada e continuemos. Além de "divinamente Inspirada" a Bíblia é PROVEITOSA. Analisando termo em dicionários de grego bíblico chegamos à seguinte definição condensada: Proveitosa vem do grego ofélimos forma derivada do grefo ofélo (amontoar, i.e. acumular ou beneficiar; ganancia:-aproveitar); significando ser útil ou serviçal, que serve com diligência, i.e. vantajoso:-proveitoso, útil, aproveitar. A Bíblia portanto tem utilidade, serve para aquele que é diligente em estudá-la, e nos beneficia acumulando ou amontoando em nossos corações as seguintes coisas: ensino, repreensão, correção, instrução – tudo objetivando a justiça de Deus. Ensino, repreensão, correção e instrução são construidas socialmente, isto é, através da reflexão séria e empenhada do grupo sobre afirmações que lhes são propostas. Ninguém pode ensinar, repreender, corrigir, ou instruir somente impondo ou seguindo cartilhas como costumam fazer os governos mundanos, pois tais atitudes são ações de consciência. Para exercer e cultivar conscientemente a Palavra de Deus não podemos nos tolhir em nosso próprio entendimento (Marcos 12.33; I Coríntios 14.15,20; Colossenses 2.2) calando, por ser conveniente, parecer que entendemos quando só decoramos uma lista de credos. Discutir a Escritura com respeito, fé genuina e interesse nos leva a um bom testemunho, como nos mostra 2Ti 3:17 "para que o homem de Deus seja perfeito, e perfeitamente preparado para toda boa obra". Ninguém poderá dar bom testemunho omitindo-se de aprender e compartilhar repreensão, correção e instrução na justiça de Deus. Por esperarmos que todos aceitem a Palavra de Deus sem questionar criamos crentes fracos, cheios de dúvidas que não aceitam aprender, repreender, corrigir ou instruir-se simplesmente porque já decoraram a cartilha. A pedagogia da cartilha já é contestada entre os próprios pedagogos, porque iríamos nós retroagir se a Bíblia Sagrada, sempre foi, e ainda é, a Revelação dinâmica de Deus destinada a um povo que não é mero ouvinte mas que investiga a Palavra para conferir como realmente as coisas de Deus são e não para questionar Deus como meros ateus. Na verdade ao investigarmos as Escrituras nos tornamos "mais nobres", como os bereanos que não se contentaram com cartilhas mas com a Dinâmica da Palavra de Deus.
Act 17:11 Ora, estes eram mais nobres do que os de Tessalônica, porque receberam a palavra com toda avidez, examinando diariamente as Escrituras para ver se estas coisas eram assim.