26/04/2009

Não toqueis nos meus ungidos

Psa 105:12 Quando eles eram ainda poucos em número, de pouca importância, e forasteiros nela, Psa 105:13 andando de nação em nação, dum reino para outro povo, Psa 105:14 não permitiu que ninguém os oprimisse, e por amor deles repreendeu reis, dizendo: Psa 105:15 Não toqueis nos meus ungidos, e não maltrateis os meus profetas.
Termo comum usado por líderes evangélicos em sua própria defesa, como se fosse atribuído só ao cabeça de uma congregação, é parte do versículo 15 do Salmo 105: “Não toqueis nos meus ungidos”. A expressão é utilizada impropriamente, pois vemos no contexto do trecho transcrito acima que isso foi uma expressão de Deus dirigida a ímpios que oprimiam o povo de Israel, portanto todo o povo de Deus é ungido, isto é, escolhido por Deus através do Espírito Santo, como povo, para levar sua Palavra. Portanto tal expressão não deve ser atribuída a um só indivíduo do povo de Deus, a igreja de Cristo, mas a todos os crentes, pois Deus nos guarda para que o inimigo não toque naqueles que foram eleitos pela fé em Jesus como Senhor e Salvador. Mas não sobra nada para os pastores e líderes? Não se aplica tal texto a eles também? Claro que sim, mas não exclusivamente. Talvez o termo mais apropriado para a liderança seria a segunda parte do versículo, precedido por uma conjunção aditiva, juntando um pensamento a outro, e adicionando outra ordem de Deus “E não maltrateis os meus profetas”. O fato de sermos todos ungidos de Deus não nos dá o direito de maltratar presunçosamente os que presidem sobre nós, diminuindo-os, pois tais são os que nos conduzem a viver da maneira que a Palavra de Deus ensina. Ser profeta, nos tempos atuais, não é ser vidente como implicava o significado da Palavra nos tempos em que progredia a Revelação Bíblica, hoje tal revelação está completa e não necessitamos mais de visões pois tudo está estabelecido na Bíblia Sagrada. O profeta dos tempos modernos é quem ouve a voz de Deus em seu coração e aplica os ensinamentos aprendidos pela meditação consciente e respeitosa na Palavra, a isto chamamos de inspiração de Deus para entender sua vontade. O verdadeiro profeta não tem inspiração baseada em livre associação ou em opinião pessoal, mas em análise adequada e minuciosamente embasada na Bíblia. Profeta é o que faz que entendamos e vivamos a vontade de Deus. Falsos profetas confundem, para que ninguém entenda, e afastam nosso viver da vontade de Deus. O profeta trabalha com apelo ao entendimento, à consciência. Maltratá-lo é atitude de ímpios, pois o maltrato atrapalha emocionalmente qualquer entendimento levando a decisões inconscientes e contrárias à vontade de Deus. Temos maltratado nossos pastores e líderes? Pastores e líderes tem se colocado como se fossem gurus com uma “unção” especial? Lembremos que somos todos iguais perante Cristo, que Deus não permite que nenhum de nós seja tocado pela impiedade, mas que devemos amor aos nossos lideres, sem maltratá-los, para que possamos ouvir a voz do Espírito de Deus não deixando frutificar a carnalidade humana.