13/02/2009

Teologia ou Ciência da Religião?

Há algum tempo que tenho ouvido de forma indiscriminada os termos teologia e ciência da religião como se fossem a mesma coisa. Alguns chegam a oferecer cursos de teologia com algum link na ciência da religião. Talvez essa confusão interesse a alguém, mas não aos que têm a Bíblia como regra de fé e prática. Teologia não é ciência, pois a ciência requer isolamento do fenômeno ou pelo menos uma observação metódica do mesmo, ora, Deus não pode ser isolado muito menos podemos manipula-lo, portanto Deus não é objeto de ciência. Talvez o fenômeno religioso possa até ser objeto de ciência em termos sociais e antropológicos, o mesmo não ocorre com a teologia, ou as teologias, visto que cada religião pode ter sua própria teologia. Teologia não é estudo de fenômeno religioso baseado no homem, mas é o estudo das relações de Deus com a humanidade e a criação da forma revelada por Ele. Portanto, ao considerar o elemento da Revelação divina (A Bíblia Sagrada), a teologia afasta-se do conceito de ciência e ganha um foco confecional. Ninguém estuda uma "Teologia Genérica", que serve para qualquer religião, como cursos duvidosos que algumas universidades oferecem demonstrando com isso sua falta de idoneidade pois tal oferta confirma que entendem nada de teologia. Mas o pior não é isso. Até mesmo alguns seminários cristãos estão entrando nesta onda perniciosa de secularização da teologia, confundindo-a com uma ciência da religião e abrindo com isso um possível precedente para que até incrédulos sentem nos bancos dos seminários. A valorização de títulos e honras acadêmicas têm levado vários estudantes de teologia, já formados ou não, a uma postura de mera pesquisa intelectual. Parece que tem muito "teólogo" querendo sentar nas cadeiras de honra das academias do mundo. Este é um fruto do neo-liberalismo teológico que não crê na Bíblia como Palavra infalível e inerrante de Deus, mas como um livro comum que qualquer um dá a interpretação que quiser. Isto deve ser considerado como anátema para a igreja, ou seja, maldição. Sei que escrevendo este artigo não posso mudar esta tendencia mas posso avisar àqueles que querem servir realmente a Deus que fujam de instituições com esse tipo de visão distorcida e secularizada da teologia e busquem seminários sérios comprometidos com a Palavra de Deus e não com academicismos. Esclareço que não sou contra o estudo e a investigação bíblica, penso até que os seminários são para isso, mas não com o foco mundano que alguns têm dado; nosso foco deve ser o único Deus Verdadeiro Senhor e Salvador que se revela de forma perfeita aos homens pela sua Palavra Revelada na Bíblia Sagrada, pois quem focaliza o fenômeno religioso somente encontrará somente pecado e depravação e não a santidade e perfeição de Deus. Se alguém quer estudar os fenômenos religiosos como um intelectual somente, é livre para isso, mas não cometa a impropriedade e a hipocrisia de confundir dois campos de estudo totalmente diferentes só para posar melhor nos meios intelectuais antibíblicos e assumidamente anticristãos.