24/02/2009

Procura-se Homens e Mulheres de Verdade

De Meus Desenhos
Gen 4:1 Conheceu Adão a Eva, sua mulher; ela concebeu e, tendo dado à luz a Caim, disse: Alcancei do Senhor um varão. Eva, após o nascimento de Caim comemorou por ser um filho homem e provavelmente com assentimento de Adão deu-lhe o nome que ficou marcado como o do primeiro homicida. O nome de Caim significa lança, possessão, que poderíamos parafrasear como “aquele que toma posse com golpes de lança”, segundo nos mostra a história posterior ele fez jus ao seu nome. Já escrevi em outras postagens sobre a importância do significado dos nomes para os povos antigos, o significado que deram ao nome de Caim é como se compreende a masculinidade de forma pecaminosa: um conquistador forte, que tem obrigação de dominar. Este não é o verdadeiro homem, segundo o coração de Deus. Abel recebeu o nome que significa um sopro, alento, algo meio que vazio. Talvez não apostassem nele tanto quanto em Caim e por isso este ficou contrariado ao não receber a atenção de Deus. Abel não se importava em ser o melhor, mas em agradar a Deus com o seu melhor por isso ele recebeu a atenção que um verdadeiro homem de Deus merece. Para ser homem de verdade é necessário ser obediente aos padrões de Deus e não aos padrões humanos. Os padrões humanos deturpam o senso de masculinidade para fornecer argumentos ao Diabo para destruir a família, as relações humanas e nossa relação com Deus. Usaram os erros do padrão machista que explorava e agredia a mulher como justificativa para disseminar ensinos feministas tão equivocados quanto os dos “machões” que colaboraram para prejudicar cada vez mais a relação da humanidade com ela mesma e com Deus. As feministas têm se mostrado “machões de saias” ou até sem elas. São na verdade a mesma coisa que seus antagonistas, usam as mesmas armas e possuem os mesmos interesses, só que com um toque feminino meio sádico e desobediente. Deus não quer homens e mulheres forjados pelos padrões mundanos, mas pelos padrões divinos. Deus não quer também uma teologia machista e nem mesmo uma teologia feminista como tentam alguns num cabo de guerra. Deus quer uma teologia que ensine e pregue, o arrependimento, a transformação, a submissão a Deus e a Salvação. Deus não quer uma teologia de jogos de poder. Sigamos o exemplo de Abel que serve para homens e mulheres e não o exemplo de Caim que é nocivo para qualquer um, mesmo que nosso aprendizado social, familiar, eclesiástico até, nos leve a agir como Caim pensando ser Abel.