22/02/2009

Catolicismo é Seita

Esperava ônibus para retornar do trabalho num ponto onde se encontrava um grupo de católicos. Teciam várias acusações aos evangélicos e diziam duas coisas principalmente: Só o catolicismo é religião, sendo todas as outras formas de cristianismo taxadas de seita; indignavam-se com o fato dos evangélicos exortarem pessoas a aceitar a Jesus para salvação, pois segundo eles, nenhum católico faz isso. Claro que muito disso se deve a falta de esclarecimento do grupo, mas quero analisar estas duas colocações sob o ponto de vista bíblico. Seita ganhou uma conotação de grupo dissidente, isto é, que saiu por discórdia e briga com outro grupo majoritário. O catolicismo contribuiu muito para essa definição, visto que o conceito de seita em outras religiões como a muçulmana e outras orientais não têm a mesma conotação. O conceito que pretendo defender não é o católico nem o secular, ou de outras religiões mas o bíblico. Já haviam seitas no tempo de Jesus, a dos fariseus e a dos saduceus são exemplos comuns nos evangelhos. Note que mesmo tendo peculiaridades não se julgavam uma religião a parte, mas sim parte do judaísmo como o proprio apóstolo Paulo nos ensina: "Sabendo de mim desde o princípio (se o quiserem testificar), que, conforme a mais severa seita da nossa religião, vivi fariseu" Atos 26.5. Os primeiros fiéis da igreja primitiva receberam o nome de cristãos que significa "pequenos cristos" pela sua busca em moldar-se ao exemplo de Jesus. Formado inicialmente por judeus convertidos e considerado uma seita judaica (Atos 24.5; 24.14; 26.5; 28.22), o cristianismo definiu-se como religião diferente do judaísmo com a conversão e aceitação de gentios, ou seja, não judeus que o judaísmo considera impuros. Sob um aspecto mais abrangente o cristianismo é o que o judaísmo deveria ter sido se aceitasse a Jesus e abrisse mão de seu xenofobismo e etnocentrismo. Na verdade a religião dos cristãos chama-se cristianismo, há cristãos evangélicos, católicos, ortodoxos etc. Não entraremos em detalhes de suas diferenças quero apenas que note que a religião principal não é Catolicismo, mas sim o Cristianismo. Dizer que catolicismo é religião e que todas as demais são seitas é etnocentrismo e protecionismo para não perder adeptos que possam contestar idéias católicas, afinal, ninguém quer pertencer a uma seita, embora todos sejam sectários. Sob o raciocínio embasado na Bíblia católicismo é uma seita como batistas, assembleianos e outros pois todos são grupos que fazem parte do CRISTIANISMO e não do catolicismo como pretendem os papistas. Como escrevi, estou abordando apenas o conceito de seita biblicamente e não as doutrinas específicas portanto, como fariseus e saduceus para o judaísmo da época de Cristo, nenhuma igreja do CRISTIANISMO pode considerar-se a religião principal. Outro detalhe que chamou a atenção, o mais grave, é o fato de católicos reconhecerem que não pregam a necessidade de Salvação através da aceitação de Jesus como Senhor. Isto é anticristianismo pois a ordem de Jesus é anunciar o evangelho. Paulo enfatizou isso em sua pregação como podemos ver no texto de Atos 17.29-30 "Sendo nós, pois, geração de Deus, não havemos de cuidar que a divindade seja semelhante ao ouro, ou à prata, ou à pedra esculpida por artifício e imaginação dos homens. Mas Deus, não tendo em conta os tempos da ignorância, anuncia agora a todos os homens, e em todo o lugar, que se arrependam". Isso é anunciar às pessoas que aceitem a Jesus, é a tônica do CRISTIANISMO. Será que os católicos julgam-se uma religião à parte porque não pregam a Salvação pela fé em Jesus? Talvez sim. Deduzimos, portanto, que não devemos nos preocupar se nos chamam de seita do Cristianismo pois é isso que somos. Se tentamos ser uma religião à parte deixamos de ser cristãos e aí sim nos tornamos verdadeiros Hereges.