07/07/2008

A parábola do Amigo Chato

Será possível que um chato mude sua vida? Porque fugimos tanto dos amigos chatos? Preferimos os amigos que nos mantém na zona de conforto, mas os profetas são os chatos mais usados por Deus. Ninguém gosta de pessoas chatas. Elas fazem a gente tomar decisões que não queremos, elas são importunas e inconvenientes. É claro que há o chato de galochas que apenas chateia sem levar à lugar nenhum, mas não é destes que quero falar. Já leu a parábola do amigo importuno, contada por Jesus em Lucas 11? Poderíamos trazer para a linguagem mais coloquial e trocar “importuno” por “chato”. Talvez você pense que Jesus estava criticando o que batia à porta, pelo contrário, ele o elogiava, pois tinha perseverança em fazer com que outros fizessem a vontade de Deus, representa também a perseverança em oração afinal Deus tem paciência infinita conosco. Precisamos ser mais chatos e ter amigos fiéis a Deus mais chatos. Quantas igrejas mantêm-se estagnadas espiritualmente por não ouvirem a voz dos profetas chatos que incentivam uma tomada de decisão? Quantos crentes também estão num impasse espiritual por não ouvirem tais profetas? A estagnação, a acomodação, a conveniência tem tomado conta da vida de muitos cristãos, afinal de contas, os chatos sempre não são desejados. Mas nem sempre os “bacanas” (uso uma gíria antiga?) tão desejáveis como companhia são aqueles que nos provocarão às melhores decisões. Há casos comuns de “caras maneiros” que levam outras pessoas a pecados dos quais se arrependem depois, como aquele cara que conquista jovens para o consumo de drogas. Os “profetas chatos” de Deus nos mostram o caminho para fazer a sua vontade. Estes sim, incompreendidos pelo mundo, são os verdadeiros “caras maneiros”. Na parábola de Jesus o amigo importuno perseverou tanto em pedir a seu amigo que este o atendeu mesmo tendo que incomodar toda sua família, pois naquele tempo dormiam todos juntos e quando um se levantava incomodava o outro. Aprendemos com isso que quando damos ouvido aos profetas de Deus fazemos uma revolução em nossas vidas e de todos que nos cercam, pois aquele que batia a porta queria fazer a vontade de Deus obedecendo a lei da hospitalidade aos viajantes, tão necessária nas noites áridas e perigosas de Israel. É horrível quando alguém chama um profeta de Deus de “chato”, embora seja comum, pois o rotulador com certeza está muito longe, ou se afastando, da vontade de Deus. O apóstolo Paulo nos orienta a admoestar, a insistir uns com os outros para manter-nos na direção de vida que Deus quer de nós. Isso, parafraseando, é quase um mandamento: “Sede chatos uns com os outros”. Vamos agradecer a Deus toda vez que alguém nos incomodar para fazer sua vontade, pois com certeza, o próprio Jesus deu exemplo incomodando, e muito, os fariseus hipócritas de seu tempo. Não façamos como os fariseus que rejeitaram o conselho contundente de Jesus, mas sim como os primeiros discípulos que deram ouvidos a sua Palavra e encontraram a vida eterna.