24/03/2008

Salvação para traidores

...e Judas Iscariotes, que foi quem o traiu. Mateus 10.4.b

Talvez um dos pecados mais execrados socialmente seja a traição, não só pela história de Judas e Jesus, mas também reforçado pela realidade das guerras e campanhas militares onde um traidor levaria toda uma nação a ruína, mas Jesus não se preocupava com o tamanhos dos pecados, pois ele é maior do que qualquer pecado.

Além de Judas que traiu a Jesus, temos Pedro que o traiu de outra maneira negando-o no caminho para o Gólgota; temos Mateus que era um cobrador de impostos empregado pelos romanos que escravizavam seu povo, portanto um traidor; temos a mulher samaritana e Maria Madalena que poderiam ser traidoras do padrão familiar de fidelidade conjugal estabelecido por Deus. Teríamos ainda outros traidores em esferas e escalas diferentes, mas o mais importante é que estes, deixaram a prática da traição e tornaram-se a igreja de Cristo formada pelos santos que vivem perante Deus. Claro que Judas Iscariotes é uma exceção.

Devemos ter consciência e confiança que nossos pecados não são maiores do que o poder de Cristo. Quando temos fé nele, podemos ser contados entre aqueles que fazem a história da igreja de Cristo. Quando não o aceitamos e não nos submetemos a ele, como Judas, temos o fim digno de um traidor e sabemos que merecemos tal coisa, mas não precisa ser assim.

Com quem queremos ser contados no futuro espiritual? Com traidores de Deus e dos homens que se arrependeram e mudaram a direção de suas vidas para Deus, ou entre os traidores inveterados que caminham a passos largos para a perdição? Esforcemos-nos para ser contados com os santos fazendo a direção de nossa vida ser guiada por Deus.