18/02/2008

"Pecadores Anônimos"




Rom 7:15 Pois o que faço, não o entendo; porque o que quero, isso não pratico; mas o que aborreço, isso faço.
Rom 7:16 E, se faço o que não quero, consinto com a lei, que é boa.
Rom 7:17 Agora, porém, não sou mais eu que faço isto, mas o pecado que habita em mim.
Rom 7:18 Porque eu sei que em mim, isto é, na minha carne, não habita bem algum; com efeito o querer o bem está em mim, mas o efetuá-lo não está.


Penso que todo mundo já ouviu falar mesmo que superficialmente, dos Alcoólicos Anônimos, um grupo de mútua ajuda formado por pessoas que decidem libertar-se do vício do alcoolismo. Há outros grupos semelhantes como de parentes de Alcoólicos, Narcóticos Anônimos, Mulheres que Amam Demais, etc. Mas para que eu estou falando isso? Foi uma pregação do Pr. Rick Stark na Missão Batista no Jockey, que me chamou a atenção com um termo muito criativo e apropriado que ele usou: nós cristãos, somos todos Pecadores Anônimos. Não entendeu? Deixe-me explicar: a exemplo dos Alcoólicos anônimos e outros grupos semelhantes que sabem que não estão curados de seu vício, mas que lutarão com ele até o fim de suas vidas, e que são pessoas em constante recuperação, nós cristãos ao nos convertermos à Palavra de Deus não deixamos de ser pecadores, mas nos tornamos pecadores que querem vencer sua fraqueza pelo pecado. O apóstolo Paulo disse nos versículos transcritos acima que não fazemos o bem que queremos, exatamente por sempre estarmos debaixo da nossa tendência a pecar, em outro texto o mesmo apóstolo diz para os que estão se achando seguros e que estão em pé – cuidado para que não caia – e como é difícil manter esse cuidado, não é verdade? Graças a Deus temos a Cristo para nos fortalecer nessa luta constante contra o pecado e para nos tornar completamente vencedores sobre ele, não por nossas forças, é claro, mas pela força, domínio e poder que reside e é o próprio Cristo.
Não devemos valorizar o fato de ser pecadores, acusando-nos mutuamente, ou sofrendo com isso como se Deus não pudesse nos perdoar. Devemos reconhecer que somos “Pecadores Anônimos” que necessitam de Cristo para crescer em sabedoria e graça até chegarmos, lá no céu, à estatura de Cristo.