26/02/2008

Canibalismo Cristão 2

Luk 22:19  E tomando pão, e havendo dado graças, partiu-o e deu-lho, dizendo: Isto é o meu corpo, que é dado por vós; fazei isto em memória de mim.

Luk 22:20  Semelhantemente, depois da ceia, tomou o cálice, dizendo: Este cálice é o novo pacto em meu sangue, que é derramado por vós.

 

Já ouvi uma comparação da ceia do Senhor com uma espécie de ritual canibalístico, quem diz isso pode ter razão ou não, dependendo a que conceito de ceia do Senhor ele esteja se referindo. Se refere-se à ceia do ponto de vista dos batistas, não faz sentido, pois entendemos que a ceia é um ato memorial, isto é, que traz a lembrança, que nos educa pelo seu valor simbólico para meditarmos sobre o valor do sacrifício de Cristo na cruz, e por nos educar, ainda nos reúne no ato de partilhar o alimento em torno da mesa, ao corpo de Cristo e como corpo de Cristo – é por isso que a ceia deve ser coletiva, celebrada na igreja e nunca de forma individual.

Mas se quem faz aquela comparação refere-se a um conceito de ceia do Senhor que confira graça, ou que garanta a Salvação, ou milagres para o fiel, o comparador esta certo. Muitas igrejas hoje adotam a ceia como elemento abençoador, dotando-o de uma mística e de um poder sobrenatural para curas e algo mais – poder este que na verdade é muito inferior ao seu valor simbólico se formos ver o poder motivador que os símbolos têm sobre o homem – este misticismo realmente lembra o canibalismo que devora aquele de quem deseja receber virtude, e isto denota a prática de muitas igrejas que criam um cristianismo canibalizado onde o que importa são as bênçãos e não o Salvador.

Quero dizer para você que Deus não nos autorizou a prometer nenhuma bênção para este mundo, seja ela de cura, de prosperidade, de "unção" espiritual, ou qualquer outra pois é Deus o único soberano que decide a quem vai abençoar e quando vai abençoar, nenhum ritual que façamos vai promover as bênçãos que esperamos, mas a misericórdia e o amor infinito de Deus nos fazem crer que Ele vai nos abençoar apesar de não merecermos seu amor.

Disse a você que Deus não nos autorizou a prometer nenhuma bênção para este mundo, mas de forma especial ele nos autorizou a prometer uma bênção para a eternidade: a Salvação! Nem mesmo os anjos receberam esse privilégio! Porque então abandonar a pregação da maior de todas as bênçãos que os anjos gostariam de anunciar, e gastar tanto tempo buscando bênçãos materiais? Deixo para você um versículo que nos faz meditar sobre isso: "Mas buscai primeiro o seu reino e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas." Mt 6.33



Marco Teles
www.abibliaevoce.org
Devocionais Bíblicas